Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Com cenas de Jesus no prostíbulo, novo especial de Natal do Porta dos Fundos já começa a causar

Deputada estadual da Bahia, que se define como "serva de um Deus vivo", entra com moção de repúdio contra filme, que ainda não foi lançado

Por Da Redação Atualizado em 8 dez 2021, 14h13 - Publicado em 8 dez 2021, 14h12

Dois anos depois de despertar a ira de alguns setores religiosos com um especial de Natal estrelado por um Jesus gay, a equipe do Porta dos Fundos volta a causar polêmica com o filme natalino de 2021. O novo especial nem foi lançado ainda — o que está marcado para 15 de dezembro, na plataforma de streaming Paramount+ —, mas já se tornou alvo de ataques nas redes sociais. Desta vez em formato de animação, a produção de humor tem uma cena em que Jesus vai a um prostíbulo e diz: “Isso não é de Deus”. Mas recebe como resposta de uma pessoa que aponta para uma das garotas de programa que “Na verdade, aquela mais alta ali é exclusiva de Deus”. O trecho, que pode ser visto num trailer do filme, levou a deputada estadual baiana Talita Oliveira (PSL), que se autointitula “serva de um Deus vivo” no instagram, a apresentar uma moção de repúdio na Assembleia Legislativa do estado contra o que ela define “como produto de péssima qualidade feito por quem apenas falhou na vida”.

+ As histórias do Capanema, que quase foi a leilão em 2021, são revisitadas em livro

No teaser de 30 segundos do especial, intitulado “Te prego lá fora”, Jesus (dublado por Rafael Portugal) é um adolescente que vai estudar na Escola Municipal Eva & Adão e se torna um “bad boy”, acreditando então que ninguém suspeitará de sua verdadeira identidade. Em outro trecho polêmico, Lázaro pergunta de o Messias guardaria uma imagem pornográfica, como o desenho dos pés de uma mulher inscrito num pergaminho.

Além de Rafael Portugal, participam da produção João Vicente, Gregório Duvivier, Thati Lopes e Fábio Porchat. Ao jornal O Globo, representantes do Porta dos Fundos informaram que vão se pronunciar sobre o assunto apenas na próxima segunda-feira (13), quando haverá um evento de divulgação do filme para a imprensa.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

O grupo prepara especiais de Natal com sátiras religiosas desde 2013. O filme de 2018, “Se beber, não ceie”, venceu o Emmy Internacional por melhor comédia. Mas foi o de 2019 (“A primeira tentação de cristo”) que deu mais o que falar. Nele, Jesus (Gregorio Duvivier) volta do deserto acompanhado do namorado, Orlando (Fábio Porchat), às vésperas do seu aniversário de 30 anos. Na madrugada da véspera de Natal daquele ano, a sede da produtora, na Zona Sul, foi alvo de um ataque: dois coquetéis-molotov foram lançados contra o prédio. Em janeiro de 2020, a Justiça do Rio de Janeiro determinou que a produção fosse retirada do ar. Dias depois, o Supremo Tribunal Federal derrubou a decisão e liberou a exibição do especial natalino.

Continua após a publicidade

Publicidade