Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Ivete e outras famosas protestam contra vídeo machista na Rússia

Daniela Mercury, Leandra Leal e Taís Araújo foram algumas das personalidades que se manifestaram

Por Redação VEJA RIO Atualizado em 19 jun 2018, 16h18 - Publicado em 19 jun 2018, 15h35

Artistas brasileiras usaram as redes sociais nas últimas horas para manifestar revolta com vídeos gravado por brasileiros na Rússia. No filmes, os torcedores induzem mulheres do país-sede da Copa a dizer frases de conotação sexual.

“Lamentável que muitos de um mesmo grupo participem desse papelão machista”, escreveu Ivete Sangalo ao publicar imagens nas quais, pelo menos, quatro brasileiros em volta de uma loira gritam “essa é bem rosinha”, numa alusão à genitália da torcedora. Daniela Mercury classificou a situação como nojenta, patética e asquerosa. “Parece que ainda vivem na Idade Média”, comentou a cantora. “Criem vergonha na cara!”, exigiu a atriz Sophie Charlotte.

De acordo com sites de notícia, um dos homens filmados é Diego Valença Jatobá. O advogado é ex-secretário de Turismo, Esporte e Cultura de Ipojuca, município na Região Metropolitana de Pernambuco. Na segunda (18), a OAB-PE publicou uma nota de repúdio em relação ao caso em seu perfil no Instagram.

Confira publicações de famosas sobre o caso na internet:

https://www.instagram.com/p/BkMHA3Elycu/

View this post on Instagram

É um abuso moral.Tirei o áudio por vergonha de vocês! Um desrespeito total à mulher que vocês colocaram nessa situação covarde de humilhação e à todas as mulheres. Machistas e misóginos. Parece que ainda vivem na idade média. É nojento, patético e asqueroso! #abusomoral #assediosexual #desrespeito #machistasnãopassarão #vergonha #machismonarussia #machismonacopa #medieval #ofensaadignidadehumana

A post shared by Daniela Mercury 👑 (@danielamercury) on

View this post on Instagram

Não é engraçado. #Repost @brunalinzmeyer Não é engraçado. É machismo. Misoginia. E vergonha. Muita vergonha. #MachismoNaCopa #NãoPassarão

A post shared by Taís Araujo (@taisdeverdade) on

Continua após a publicidade

View this post on Instagram

#Repost @brunalinzmeyer with @get_repost ・・・ Não é engraçado. É machismo. Misoginia. E vergonha. Muita vergonha. #MachismoNaCopa #NãoPassarão

A post shared by Leandra Leal (@leandraleal) on

https://www.instagram.com/p/BkNhHGcA-nS/

View this post on Instagram

DESCULPA Rússia, pelo PAPELÃO que alguns brasileiros fizeram questão de representar aí. Olha, sinceramente… em pleno século 21, copa do mundo, e com tudo que JÁ estamos passando, meia dúzia de MACHISTAS idiotas darem uma bola FORA dessas… é inadmissível! Valeu a pena fazer gracinha no grupinho de Whatsapp de vocês? Enquanto um país inteiro TEM VERGONHA dessa representação? Deveriam aprender a ser HOMENS e deixar de serem uns moleques babacas. Gastaram um dinheirão pra ir ATÉ AÍ fazer uma palhaçada dessas.. ridículos. Nossa tô revoltada, tchau. 😠

A post shared by Giovanna Lancellotti (@gilancellotti) on

View this post on Instagram

Não foi uma brincadeira. Foi machismo, misoginia. Foi racismo. Um episódio lamentável de assédio, humilhação e sexualização gratuitas. Pra nunca mais se repetir. #NãoPassarão #MachismoNaCopa (via @cartunista_das_cavernas)

A post shared by Mônica Martelli (@monicamartelli) on

View this post on Instagram

O vídeo viralizado dos torcedores machistas representa muito além de machismo, racismo…tanta nojeira junta. Já ouvi de homem q não gosta de pretinha porq é nojento, prefere a rosinha q é premiada. O cúmulo do absurdo 🤢😡. #Repost texto da jornalista @belareis ・・・ Eu li várias coisas sobre o "buceta rosinha", sobre como o futebol é machista, a cultura do estupro e sobre o nível de objetificação de reduzir uma mulher a sua vagina. Mas eu não vi ninguém falar sobre o racismo que existe nessa idealização das partes do corpo feminino. Eu vou falar isso de forma muito explícita porque não existe outra possibilidade. Quando um homem escolhe uma mulher porque a buceta ou os mamilos dela são rosinhas, ele está excluindo do radar todas as mulheres negras que têm buceta e mamilos castanhos, beges, escuros. Quando você limita suas parceiras pela cor da buceta, você desconsidera qualquer tipo de relacionamento com mulheres negras. E isso é grave, porque não é só preferência pessoal, é o comportamento de toda uma população. Segundo o último CENSO (2010), 49% da população branca estava solteira. Contra 60% dos pretos e 61% dos pardos. Isso acontece porque os brancos se escolhem (74,5% dos brancos escolheram parceiras brancas e somente 20% pardas e 3% pretas), mas os pretos, não (39% dos homens pretos estão com mulheres pretas, 32% com pardas e 26% com brancas). Os números sintetizam a solidão da mulher negra. A ideologia do embranquecimento implementada no Brasil deixou de herança a busca consciente ou subconsciente por parceiros brancos. Quanto mais branco, melhor. Quanto mais rosa a buceta, melhor. O problema não é por quem você se apaixona perdidamente durante a vida. O problema é quando você limita seu olhar, seu interesse, seu like no Tinder, seu primeiro beijo pela cor de uma buceta. Isso é o racismo atuando no âmago, no subconsciente, na construção social. Você pode ser muito feliz ao lado de uma mulher que não tenha uma buceta rosa, mas você só vai saber se parar de limitar seus relacionamentos pela cor de uma vagina. #NÃOFOISÓMACHISMO #machistasnãopassarão #machismo #machismonacopa #racismo #empoderamentofeminino #mulher #igualdade #educação

A post shared by Quitéria Chagas (@quiteriachagas) on

View this post on Instagram

A essa altura do campeonato muita gente já viu o video q domingo viralizou na rede – babacas brasileiros cantando musiquinha escrotissima, fazendo uma jovem russa se unir ao coro machista. Não postarei o video porque tenho nojo!! Pouco poderemos fazer judicialmente. A vítima poderia. Mas aqui apelo q espalhemos a cara desses babacas. Assim poderão ser punidos nas suas casas (uma vergonha pra família) e nos seus empregos!! #respeitaasminasrussas #machistasnãopassarão Nojo!!! As mães desses idiotas meu sincero pesar. Ninguém cria um filho pra dar nisso!! O que podemos fazer é repostar, e repostar e repostar…..

A post shared by astridfontenelle (@astridfontenelle) on

View this post on Instagram

Estou postando essa baixaria com áudio para você sentir a indignação que eu e minha família estamos sentindo. Mal educados, misóginos, babacas, cruéis, machistas e asquerosos. Mais um grupinho para as mulheres identificarem. #machistasnãopassarão #nãoéengraçado #machistas #vergonha #machismonacopa

A post shared by Malu Verçosa Mercury (@maluvercosa) on

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 12,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)