Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Sem blocos de rua, ingressos para festas de carnaval são vendidos a quase mil reais

Produtores e representantes dos blocos acreditam que em eventos fechados as medidas de controle de acesso do público poderiam garantir segurança

Por Da Redação Atualizado em 5 jan 2022, 14h02 - Publicado em 5 jan 2022, 13h56

Sem a opção de brincar carnaval nos blocos de rua, cariocas e turistas que não quiserem abrir mão da folia terão que primeiro colocá-la no bolso. E gastar quantias que podem chegar a quase mil reais para entrar em uma festa fechada. Com a não autorização dos desfiles dos blocos pelo segundo ano consecutivo, por causa dos riscos de se contrair Covid-19, sites de venda de ingressos anunciam tíquetes a partir de 300 reais para participar de eventos carnavalescos com as mais diversas atrações. Inclusive blocos. Produtores de eventos e representantes das agremiações acreditam que, sem os cortejos, esta pode ser uma folia de bailes e festas particulares, com exigência do passaporte vacinal.

+ Nova onda: em duas semanas, número de casos da Covid-19 sobe rapidamente no Rio

O prefeito Eduardo Paes chegou a sugerir aos blocos de rua, nesta terça-feira (4), a realização de eventos no Parque Madureira, no Parque Olímpico e em outro local a ser definido na Zona Oeste. Todos aconteceriam em ambientes fechados, o que permite controle sanitário. Mas a princípio a proposta não foi bem aceita pelos representantes, que entendem que os blocos têm uma relação com seus bairros. De acordo com Rita Fernandes, presidente da Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua do Rio de Janeiro (Sebastiana), algumas agremiações pensam em fazer eventos em outros lugares. “O mais provável é que a gente tenha festas fechadas de bailes, shows, gritos de carnaval, e não mais os blocos de rua”, disse ela ao jornal O Globo.

O Cordão da Bola Preta, por exemplo, comunicou que vai optar por fazer festas na sede do bloco, no Centro. De acordo com sua assessoria de imprensa, haverá bailes por lá nos cinco dias de carnaval, seguindo os protocolos sanitários previstos para a realização de eventos particulares. “Podem ser bailes, shows, algo semelhante. Mas não carnaval de rua“, observou Pedro Guimarães, presidente da Apresenta®, a Associação dos Promotores de Eventos do Setor de Entretenimento e Afins do Rio.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Segundo o jornal O Dia, na sexta-feira de carnaval, um evento com “local a definir” oferece ingressos de até 520 reais. A festa “We Make Better Days” tem atrações como Pedro Sampaio e Pathy de Jesus. Já o Parque dos Atletas terá, no domingo (26) e segunda-feira (27) de carnaval, o festival “Carnaval das Artes”, com shows de Barões da Pisadinha, Luan Santana, Belo, Ferrugem, Wesley Safadão e outros. A entrada para os dois dias está 350 reais. O Riocentro terá shows de Anitta, Thiaguinho, Leo Santana e outros nomes de peso no Domingo (27), com ingressos que passam dos 700 reais. A segunda de carnaval (28) tem o evento “Baile da Purpurina”, com ingressos a 440 reais e a presença de blocos, como o Amigos da Onça.

Continua após a publicidade

Publicidade