Clique e assine por apenas 4,90/mês

Indio da Costa compõe samba para Mangueira criticar a prefeitura

Escola divulgou nesta terça (29) a lista das 18 composições que participam da escolha de samba em 2018

Por Redação Veja Rio - Atualizado em 30 ago 2017, 14h27 - Publicado em 30 ago 2017, 14h22

indio

A Mangueira divulgou nesta terça (29) a lista das 18 composições que disputarão o direito de ser o hino da escola em 2018. Nela, um nome inusitado chama a atenção: o do secretário municipal de urbanismo, infraestrutura e habitação Indio da Costa.

O enredo da Verde-e-rosa em 2018 torna a situação ainda mais inusitada. Criado por Leandro Vieira, “Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco” é visto por especialistas como uma crítica ao corte de verbas para o Carnaval anunciado em junho pela prefeitura, da qual Indio faz parte.

Assinados por um secretário municipal, versos como “Mangueira, derruba as grades do poder” se tornam até engraçados. Além de Indio, outros seis autores compuseram a obra. O principal deles é Cesinha Maluco, que venceu a disputa em 2011, quando a Mangueira homenageou o compositor Nelson Cavaquinho.

Continua após a publicidade

Diferentemente do eu-lírico da letra, Indio está longe de ser um “rei de bolso furado“. Sua família fundou o banco Cruzeiro do Sul, que está sob intervenção desde 2012 após o Banco Central ter descoberto ações fraudulentas por parte da gestão. No ano passado, VEJA noticiou a derrubada de árvores em um terreno no Jardim Botânico no qual o político construía uma mansão. É sempre bom lembrar que Indio foi secretário estadual de meio ambiente no governo Pezão.

Apesar dessas questões, Indio é a principal aposta de Marcelo Crivella para outra disputa: a da cadeira de governador do estado nas eleições de 2018.

Confira o samba de Indio:

Publicidade