Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

A vitória dos gêmeos Arthur e Bernardo, que nasceram ligados pela cabeça

Nove cirurgias que levaram à separação dos irmãos, de 4 anos, foram feitas no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer; última operação durou 27 horas

Por Da Redação Atualizado em 3 ago 2022, 14h13 - Publicado em 3 ago 2022, 12h55

Após sete cirurgias parciais e duas totais realizadas nos últimos meses, os gêmeos Arthur e Bernardo, de 4 anos, finalmente puderam se ver. Nascidos presos pela parte superior da cabeça, cada um dos meninos estava voltado para um lado. Os irmãos foram operados no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer (IEC), no Centro do Rio. Todo o tratamento médico foi custeado pelo SUS, e o médico cirurgião inglês Owase Jeelani, referência internacional neste tipo de operação, participou dos procedimentos. A equipe do neurocirurgião brasileiro Gabriel Mufarrej, chefe de cirurgia pediátrica do IEC agora é considerada referência na América Latina para cirurgias de separação de gêmeos unidos pela cabeça, e o instituto passa a ser parceiro da Fundação Gemini Untwined, que participou da cirurgia.

+ Quase rave: Rio prevê Réveillon com 11h de festa e muita queima de fogos

A operação foi descrita por Owase Jeelani como “coisa da era espacial”. Considerado um dos processos de separação mais complexos já concluídos pela Gemini Untwined, que Jeelani fundou em 2018, pela primeira vez num procedimento do tipo os cirurgiões em países diferentes usaram fones de ouvido e operaram juntos na mesma “sala de realidade virtual“. Só a última operação exigiu mais de 27 horas de trabalho de quase 100 médicos. Os irmãos, nasceram em Roraima e foram trazidos para o Rio de Janeiro para realizar o tratamento, compartilhavam 15% de cérebro e também uma veia que conduzia o sangue de retorno ao coração dos dois.

“É simplesmente maravilhoso. É realmente ótimo ver a anatomia e fazer a cirurgia antes de realmente colocar as crianças em risco”, disse Jeelani disse à agência de notícias PA, acrescentando que ficou “absolutamente exausto” após a última operação, durante a qual fez apenas quatro pausas de 15 minutos para se alimentar e hidratar, mas que foi “maravilhoso” ver a família se sentindo “nas nuvens” depois.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Bernardo e Arthur são os gêmeos craniópagos – ou seja, gêmeos com cérebro fundido – mais velhos a se separarem. De acordo com a Gemini Untwined, um em cada 60 mil nascimentos resulta em gêmeos siameses, e apenas 5% deles são craniópagos. Os gêmeos estão se recuperando bem no hospital e terão pela frente seis meses de reabilitação.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 12,90/mês