Clique e assine por apenas 7,90/mês

Quadrilhas de outros estados vêm furtar celulares nos blocos do Rio

Delegacia do Leblon prende grupo de cinco ladrões que veio de São Paulo e pretendia passar o carnaval inteiro "trabalhando" no meio dos foliões

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 12 fev 2020, 16h12 - Publicado em 12 fev 2020, 16h00

Os blocos de rua do Rio não vêm atraindo só foliões de outros estados: quadrilhas especializadas em furto de celular escolheram a cidade para “trabalhar” (é este o termo que eles usam) durante o carnaval. Uma delas foi presa no último sábado, logo depois de fazer a limpa em mais de uma dúzia de pessoas que se divertiam no GB Bloco, de Laranjeiras. O grupo, de cinco ladrões, foi descoberto por acaso depois de ser abordado por policiais militares na Lagoa, quando saía de Laranjeiras com 13 aparelhos roubados. Nascidos em Belém do Pará, os cinco são moradores de uma comunidade de São Paulo e se preparavam para um segundo turno de “trabalho”, desta vez na Banda de Ipanema.

O grupo foi parado pela PM na Lagoa porque estava fumando maconha, e numa primeira revista, os policiais não encontraram os celulares. Chefiada pelo delegado Antenor Martins Junior, a equipe da 14ª DP, no Leblon – para onde eles foram levados -, desconfiou dos cinco amigos e descobriu que um deles apresentou documento falso e que era foragido da Justiça do Pará. Numa revista mais minuciosa no carro, foram encontrados os 13 celulares furtados. Em depoimento na delegacia, os integrantes do bando (três homens e duas mulheres) contaram que decidiram vir furtar no Rio porque a cidade “está cheia de bloquinhos, e no empurra-empurra ninguém sente nada”. As vítimas em potencial, contou um dos ladrões, são as que usam bermudas com bolsos sem zíper ou a bolsa voltada para a lateral do corpo.

“Logo depois de pegar o celular na mão leve, o ladrão passa para um receptador que está bem próximo, e se livra do flagrante para continuar roubando mais”, conta o delegado. É frequente também que um outro integrante do grupo distraia, de alguma maneira, a vítima escolhida, antes do furto. A quadrilha presa neste sábado pretendia furtar nos blocos mais movimentados do Rio até o fim do Carnaval, quando voltariam para São Paulo. Os celulares seriam vendidos na “Feira do Rolo”, na Zona Sul da capital paulista. Os cinco ladrões foram autuados por associação criminosa, furto qualificado e uso de documento falso, e estão presos preventivamente em Benfica.

Publicidade