Clique e assine por apenas 4,90/mês

Funcionários da Fiocruz não conseguem vacina contra febre amarela

Mesmo abrigando a fábrica que produz as vacinas contra a doença, Fundação alega não ter unidades disponíveis

Por Redação Veja Rio - Atualizado em 23 mar 2017, 18h40 - Publicado em 22 mar 2017, 16h57

Funcionários da Fiocruz que procuraram o posto de saúde que funciona dentro da Fundação Oswaldo Cruz para se vacinar contra a febre amarela encontraram um papel na porta informando que o local não possui unidades do imunizante. Vale lembrar que lá funciona a Bio-Manguinhos, a fábrica que produz as vacinas contra a doença. Ao pedirem uma explicação sobre a falta de unidades, os funcionários foram informados de que as vacinas ainda não chegaram.

Cartaz afixado no posto de saúde dentro da Fiocruz Reprodução/Veja Rio

O governo federal garantiu que há doses o suficiente para atender toda a população. E, na semana passada, o Ministério da Saúde anunciou que a Organização Mundial de Saúde (OMS) vai ajudar com 3,5 milhões de doses extras.

Em nota, a Fiocruz informou que “imuniza apenas trabalhadores da Fundação expostos ao risco, seja por motivo de viagem para trabalho de campo em regiões cuja imunização é recomendada pelo Ministério da Saúde ou pelo contato direto com o vírus, vetor (mosquito) ou hospedeiro (macacos) da febre amarela em suas atividades.” Completou ainda que o Centro de Saúde atende à população da região de Manguinhos e, por tanto, é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde. 

 

Publicidade