Continua após publicidade

Fogo no Parque de Itatiaia destrói o equivalente a 200 campos de futebol

Incêndio começou no dia do aniversário de 187 anos da unidade de conservação ambiental, considerada o primeiro parque nacional do Brasil

Por Redação VEJA RIO Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 17 jun 2024, 14h15 - Publicado em 17 jun 2024, 14h14

O Parque Nacional do Itatiaia (PNI) completou 187 anos na última sexta (14), mas ganhou um presente de grego: na tarde do dia, começou um incêndio na unidade de conservação ambiental, que fica no Sul Fluminense, destruindo 200 hectares, o equivalente a quase 200 campos de futebol. A informação é do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela administração do parque.

A área atingida fica a mais de dois mil metros de altitude, o que dificultou os trabalhos do Corpo de Bombeiros e de outras instituições que combateram o fogo. As chamas só foram controladas no começo da noite deste domingo (16), após três dias de atuação de bombeiros de quinze quartéis mobilizados para a operação.

+ BRT 24 horas: quais estações do transporte vão ficar abertas o dia todo

No domingo (16), os agentes continuaram realizando o resfriamento das regiões atingidas e monitorando o surgimento de novos focos, inclusive durante a madrugada. “Algumas frentes do incêndio já foram controladas, no entanto, demandam monitoramento constante pela facilidade do fogo retornar nos períodos mais quentes do dia”, informou o ICMBio à Agência Brasil.

Continua após a publicidade

Segundo o porta-voz do Corpo de Bombeiros, major Fábio Contreiras, contou à Agência Brasil, ter o incêndio controlado não significa que ele está extinto. “Temos focos de calor e focos de fumaça ainda e com pequenas labaredas. No momento, ele está cercado, controlado e não tem probabilidade de expandir. A gente já conseguiu cercar e impediu o avanço dele”, esclareceu.

Compartilhe essa matéria via:

Ainda não se sabe qual a causa do incêndio. De acordo com a Parquetur, concessionária que faz a gestão turística do parque, o fogo começou por volta das 14h de sexta (14), nas proximidades do Morro do Couto e da portaria da parte alta da unidade, espalhando-se rapidamente pela vegetação seca.

Continua após a publicidade

Na quinta (13) e na sexta (14), na parte alta do PNI, os acessos ao Pico das Agulhas Negras e às Prateleiras (duas das principais atrações do parque) estavam interditados devido a treinamentos de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman).

+ O inverno bate à porta… Como fica o tempo no Rio no início da estação

Procurado pelo jornal O Globo, até a noite de domingo (16) o Exército ainda não havia respondido se os militares continuavam no local na hora em que o as labaredas começaram.

Continua após a publicidade

Oficiais do Exército, brigadas do PNI e do Parque Estadual da Serra do Papagaio e do Ibitipoca e agentes da Parquetur, do Ibama, da Fundação Florestal SP e da Defesa Civil de Itamonte (MG) também ajudaram no combate às chamas.

+ Prefeitura assinou contratos de R$ 47 milhões com ONG ligada a Brazão

O Corpo de Bombeiros do Rio, por sua vez, mobilizou cerca de cem militares, além de vinte viaturas, duas aeronaves e dois drones, que também realizaram o mapeamento contínuo da região, com acompanhamento do fluxo e da direção do vento.

Continua após a publicidade

Coordenador de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do ICMBio, João Paulo Morita falou sobre as dificuldades em se atuar no local para dar fim ao fogo.

+ Brigadeirão: suspeitas se encontraram no dia em que corpo foi achado

“É um incêndio complexo, a mais de dois mil metros de altitude. Por ser mais alto, a quantidade de vento aumenta, causando uma propagação rápida, principalmente porque o tempo está muito seco”, explicou ele ao Globo, no sábado (15). Morita também informou que a área era íngreme, com acesso facilitado apenas em alguns trechos.

Continua após a publicidade

Por conta do fogo, a Parquetur informou neste domingo (16), por meio de nota à imprensa, que o acesso à parte alta do parque ficará fechado até pelo menos quarta (19). Além disso, a Abertura da Temporada de Montanha, prevista para o próximo fim de semana, foi cancelada.

+ O que se sabe sobre prédio residencial de meio bilhão de reais em Ipanema

“A medida visa garantir a segurança e o bem-estar ao público, que a partir de quinta-feira poderá acessar e aproveitar todos os atrativos do parque, sem restrições”, afirma o texto. A parte baixa do lugar, porém, não foi afetada e segue funcionando em horário normal (de terça a domingo, das 8h às 17h).

Primeiro parque nacional do Brasil

Criado pelo presidente Getúlio Vargas, em 1937, o Itatiaia é considerado o primeiro parque nacional do Brasil. Localizada na Serra da Mantiqueira, a unidade de conservação se espalha pelos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro e é uma das mais procuradas por turistas: em 2023, registrou visitação recorde, com cerca de 150 000 pessoas.

Além de belas paisagens, o local tem como um dos atrativos o frio desta época do ano na região. No dia anterior ao início do incêndio, quinta (13), por exemplo, os termômetros tinham marcado 9,2 graus negativos, recorde de 2024 no parque e no Brasil, de acordo com o PNI.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.