Clique e assine por apenas 3,90/mês

Foodtech carioca cria fundo de apoio à pesquisa científica sobre Covid-19

A empresa Fazenda Futuro vai distribuir 100 000 reais para alunos de doutorado de universidades públicas

Por Bruna Motta - Atualizado em 23 abr 2020, 19h25 - Publicado em 23 abr 2020, 19h23

Existem diferentes formas de combater o novo coronavírus, mas a principal linha de frente na batalha é certamente o campo da ciência. Por isso, diante do cenário periclitante de incentivo nesta seara, a Fazenda Futuro resolveu abrir um fundo emergencial de 100 000 reais para apoiar pesquisas que se debrucem em soluções para combater o inimigo biológico invisível. Os contemplados receberão o valor de 3 000 reais por mês (a ideia é que o aporte seja feito até que os fomentos do governo sejam normalizados).

+Covid-19: Começam os testes com plasma sanguíneo em pacientes com o vírus

“Os estudantes que estiverem na fila para regularizar sua bolsa ou à espera de resposta da instituição fomentadora podem se inscrever para receber o auxílio”, explica Marcos Leta, fundador da marca. O valor destinado ao fundo emergencial anteriormente seria usado na campanha de marketing de um novo produto. “Nós, da Fazenda Futuro, não teríamos chegado tão longe sem o desenvolvimento de novas tecnologias. Essa é a nossa forma de retribuir”, reforça o empresário.

+ Para assinar o conteúdo digital de VEJA RIO, clique aqui.

Aos interessados em pleitear o suporte, os pré-requisitos são: estar matriculado em programa de pesquisa de doutorado, focado no coronavírus, em universidade pública, e que esteja à espera da liberação de uma bolsa de estudos. Inscrições pelo e-mail (clique aqui), ainda sem prazo de término.

+Coronavírus: em curva ascendente, cidade já tem 3656 casos confirmados

Continua após a publicidade
Publicidade