Clique e assine por apenas 7,90/mês

Exposição refaz fotos centenárias do Rio Antigo

Pega-se uma foto centenária do Rio, vê-se de onde foi tirada, volta-se ao local exato e um novo clique é feito. Eis a ideia da mostra Augusto Malta Revival

Por Lula Branco Martins - Atualizado em 2 jun 2017, 12h23 - Publicado em 16 out 2015, 19h03

Repare bem na foto acima, mostrando o pagode da Vista Chinesa. Há algo esquisito ali. Veem-se ciclistas com capacetes modernos, uma menina de shortinho jeans e, a seu lado, vetustos cidadãos de terno, gravata e chapéu, uma gente que parece saída de 1906 ­— e, no caso, é isso mesmo. Unindo passado e presente com o auxílio de programas de computador, o designer gráfico Marcello Cavalcanti abre, no dia 28 deste mês, a exposição Augusto Malta Revival, no Centro Cultural Light, no Centro. Para fazer o trabalho, ele buscou posicionar-se no mesmo ângulo dos cliques daquele que foi um dos mais importantes fotógrafos do início do século passado, com seu olhar documental de certo tom jornalístico. Assim, as montagens misturam detalhes de ontem e de hoje. Numa única imagem, pode muito bem haver antigos reclames de remédios junto de outdoors modernos. Em outra, mostrando uma praia, encontram-se guarda-sóis de banhistas e, simultaneamente, sombrinhas de damas da sociedade que, na década de 20 do século XX, já arriscavam botar o pezinho na areia. Uma vez feita a manipulação digital, o resultado põe lado a lado pessoas até então separadas por quase 100 anos, além de diferentes meios de transporte, edificações, modas e costumes. O projeto de Cavalcanti recebeu menção honrosa do Comitê Rio450. Algumas obras chegam a ter base de 1 metro de comprimento. A mostra, com entrada franca, fica até 20 de novembro em cartaz.

A Rua Paissandu, no Flamengo: velhas bicicletas, novos prédios
A Rua Paissandu, no Flamengo: velhas bicicletas, novos prédios
A Enseada de Botafogo ontem e hoje: efeitos de computador
A Enseada de Botafogo ontem e hoje: efeitos de computador
Publicidade