Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Estado do Rio prevê mistura de vacinas para maiores de 60 anos na 3ª dose

Secretaria de Saúde adotará, a partir de setembro, protocolo diferente do Ministério da Saúde, que planeja reforço para idosos com 70 anos ou mais

Por Redação Atualizado em 26 ago 2021, 13h02 - Publicado em 26 ago 2021, 13h00

Nesta quarta (25), após o Ministério da Saúde divulgar que a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 em idosos e imunossuprimidos começará em meados de setembro em todo o país, a Secretaria estadual de Saúde (SES) anunciou novos detalhes do plano de reforço da imunização previsto no calendário único estado do Rio. Logo, diferentemente da estratégia do Ministério da Saúde, que prevê terceira dose para idosos com 70 anos ou mais, em solo fluminense a nova aplicação incluirá toda a população do estado com 60 anos ou mais, além dos imunossuprimidos.

+Covid: com o avanço da variante Delta, plano de reabertura do Rio é adiado

Outra diferença é que no estado a terceira dose será sempre heteróloga, com imunizantes distintos. Ou seja, quem recebeu duas doses de Pfizer receberá um reforça de Astrazeneca. Aqueles que tomaram Janssen ou Astrazeneca ganharão reforço de Pfizer. No caso da CoronaVac, a dose extra pode ser de Janssen, AstraZeneca ou Pfizer.

Com início previsto para setembro, sem data definida por ora, o reforço começará por idosos que moram em instituições ou abrigo e aqueles com 90 anos ou mais, avanço em ordem decrescente até os 60 anos.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade