Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Abandonado, Canecão completa cinquenta anos em 2017

Por lá passaram nomes como Ray Charles (1930-2004), Maria Bethânia, Roberto Carlos, Chico Buarque e Elis Regina (1945-1982)

Por Heloíza Gomes Atualizado em 13 mar 2017, 17h44 - Publicado em 11 mar 2017, 00h16
Amicucci Gallo/Divulgação

Em junho de 1967, o Canecão abriu as portas em Botafogo como cervejaria (daí o nome), fundado pelo empresário Mário Priolli. Dois anos depois, reformulado, recebeu a cantora Maysa (1936-1970), a primeira de uma série de atrações musicais que fizeram história. Por lá passaram nomes como Ray Charles (1930-2004), Maria Bethânia, Roberto Carlos, Chico Buarque e Elis Regina (1945-1982) — estrela da superprodução Saudade do Brasil (foto), apresentada em 1980. Um litígio com a UFRJ, dona do terreno, levou ao fechamento da casa, em 2010, mas, lamentavelmente, a universidade não tinha um plano B. Em ruínas, o Canecão vai comemorar cinquenta anos. Valeria Colela, a última diretora artística do lugar, pretende resgatar os tempos áureos dele em livro. “A ideia era publicá-lo neste ano, mas ainda estou em fase de captação de recursos”, diz.

Publicidade