Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Dez curiosidades sobre Garota de Ipanema

Uma das canções mais conhecidas do mundo, Garota de Ipanema completa 50 anos. Para homenagear a obra-prima de Vinicius de Moraes e Tom Jobim, veja 10 fatos curiosos sobre a canção

Por Ernesto Neves Atualizado em 5 dez 2016, 15h28 - Publicado em 13 ago 2012, 12h50

Sentados no bar Veloso, 50 anos atrás, Tom Jobim e Vinicius de Moraes encantaram-se com a beleza da jovem Helô Pinheiro, que passava por ali rumo à Praia de Ipanema. Da admiração dos compositores surgiu Garota de Ipanema, uma das mais conhecidas músicas do planeta e que, mesmo após cinco décadas, continua sendo regravada e atualizada por cantores da nova geração. Composta em agosto de 1962, foi lançada somente em março de 1963, tornando-se o maior sucesso da Bossa Nova. Para homenagear a canção que é símbolo da beleza carioca nos quatro cantos do mundo, listamos 10 fatos curiosos sobre Garota de Ipanema.

Nome original. Poucos sabem, mas a canção escrita por Vinicius de Moraes e com melodia elaborada por Tom Jobim chamava-se originalmente Menina que Passa.

A estreia. Para sorte do público presente, a canção foi apresentada pela primeira vez na Boate Bon Gourmet, em Copacabana. Até o início do show, não se sabia direito como seria a melodia.

A verdadeira musa. Não demorou para várias mulheres se apresentarem como a verdadeira inspiração. A especulação só acabou em 1965, quando Vinicius de Moraes esclareceu que sua inspiração fora a adolescente Heloísa Pinheiro.

A versão em inglês. Nascida na Bahia, a cantora Astrud Gilberto deu voz à versão em inglês em 1964. Com arranjos do consagrado Stan Getz, a música estourou nos Estados Unidos e e encantou o mais importante cantor da América, Frank Sinatra, que a regravou em 1967 (veja aqui um dueto de Sinatra com Tom Jobim).

Continua após a publicidade

Garota Heavy Metal. Em 2008, os roqueiros do Sepultura deram ao hino da Bossa Nova uma pegada, digamos, rock and roll. Apresentada durante o Grammy Latino daquele ano, em São Paulo, causou reações de fãs acostumados à doce melodia (confira aqui a performance).

Em todas as línguas. Calcula-se em 170 as versões para a canção. E continua a ser regravada por grandes nomes, entre os quais se destaca a feita britânica Amy Winehouse (1983-2011), lançada no último ano (ouça aqui).

O dia em que Ipanema virou a Groênlandia. Expoente da New Wave dos anos 80, o grupo B-52’s fez uma versão inusitada para a música de Tom e Vinicius. Em Girl From Ipanema Goes To Greenland (ou a Garota de Ipanema vai para a Groênlandia), lançada em 1986, nossa musa deixa o calor de Ipanema e vai viver na inóspita ilha do Hemisfério Norte (veja aqui o clipe).

A bossa carioca conquista Nova York. O sucesso foi tamanho que, três meses após lançada no Brasil, a música foi apresentada em concerto do Carnegie Hall, prestigiado palco para shows em Nova York.

A volta. Em 1985, 23 anos após o estouro da música, Tom Jobim voltou a se apresentar no Carnegie Hall. No espetáculo de encerramento após longa turnê pelo Brasil e Europa, foi ovacionado pelas 3.000 pessoas presentes. Tom voltaria ao palco novamente em 1994, realizando espetáculo ao lado dos ingleses Sting e Elton John, e do tenor italiano Luciano Pavarotti.

Nem tudo é festa. O sucesso motivou também disputas judiciais. Em 2001, Helô Pinheiro foi processada por herdeiros de Tom Jobim por usar comercialmente Garota de Ipanema em sua loja de roupas.

Continua após a publicidade

Publicidade