Clique e assine por apenas 4,90/mês

Delegacia abre inquérito para apurar ações de “justiceiros” na praia

Após fim de semana com arrastões e espancamentos de suspeitos, o secretário estadual de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, previu que podem acontecer linchamentos

Por Agência Estado - Atualizado em 5 dez 2016, 11h53 - Publicado em 22 set 2015, 21h49

A Delegacia de Repressão a Crimes de Informática abriu na segunda-feira (21) um inquérito que investiga a mobilização dos chamados “justiceiros” em grupos na internet. No Facebook, em páginas que discutem assaltos em bairros da zona sul do Rio de Janeiro, eles planejam agredir suspeitos de furtos e assaltos na tarde do próximo domingo (27). Ainda não há informação sobre depoimentos de investigados no inquérito.Após um fim de semana com arrastões e espancamentos de suspeitos, o secretário estadual de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, previu que podem acontecer linchamentos. Para Beltrame, o setor de inteligência da Polícia Militar já detectou a articulação de gangues formadas por moradores da zona sul que se organizaram para agredir suspeitos.

“Temo que haja problema de linchamento, se isso continuar desse jeito. Em vez de um problema, estamos com o risco de ter dois”, afirmou Beltrame. E destacou que a polícia reprimirá crimes cometidos por moradores da zona sul.

Ânimos exaltados

Os arrastões têm provocado reações exaltadas e manifestações de incitação à violência nas redes sociais, tanto de moradores dos locais afetadas quanto de jovens que afirmam ter sido agredidos após as ações.A reação violenta por parte dos moradores da região foi amplamente apoiada nas postagens. “Vamos reagir sim. Não é covardia não, pois quando eles estão em 30 para assaltar idosos, mulheres e etc. não é covardia. Então encher a cara deles de porrada é mais que justo”, escreveu um usuário.

Publicidade