Continua após publicidade

Covid: 14 dias de restrições podem reduzir 40% da transmissão, diz Fiocruz

Entre as recomendações está o uso obrigatório de máscaras por pelo menos 80% da população

Por Carolina Barbosa Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
24 mar 2021, 12h41

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) sugere a adoção de medidas rígidas para o bloqueio da transmissão da doença em todos os estados, capitais e municípios que se encontram na zona de alerta crítico. O apelo faz parte do Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19, divulgado nesta terça (23).

As principais recomendações apontadas pela Fiocruz são a restrição das atividades não-essenciais por cerca de 14 dias, para redução de aproximadamente 40% da transmissão, e o uso obrigatório de máscaras por pelo menos 80% da população.

+Covid-19: Fiocruz entregará menos doses da vacina que o previsto em abril

O documento destaca ainda o agravamento do cenário nacional, que apresenta números extremamente altos de casos e óbitos diários por covid-19, a permanência da tendência de aceleração da transmissão do Sars-CoV-2 e o quadro muito crítico das taxas de ocupação de leitos de UTI covid-19 no Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Brasil.

De acordo com os dados, ocorreram, em média, 73 000 casos diários e 2 000 óbitos por dia na última semana epidemiológica analisada, no período de 14 a 20 de março. O número de casos cresce a uma taxa de 0,3% ao dia e o número de óbitos por covid-19 aumentou para 3,2% ao dia. Também foi observado um aumento desproporcional da mortalidade no país, passando de cerca de 2% no final de 2020 para 3,1% em março deste ano.

Continua após a publicidade

+Covid-19: calendário de vacinação para idosos acima de 66 anos é divulgado

Com relação às taxas de ocupação de leitos de UTI covid-19 no SUS, os dados continuam indicando um quadro extremamente crítico no país. Segundo o boletim da Fiocruz, na região Norte, se destaca a saída do Amazonas da zona crítica para a de alerta intermediário, agora com uma taxa de 79%.

Em compensação, piora a ocupação de UTIs covid-19 na região Sudeste: na última semana, em Minas Gerais, a taxa de ocupação cresceu de 85% para 93%; no Espírito Santo, de 89% para 94%; no Rio de Janeiro, de 79% para 85%; e em São Paulo, de 89% para 92%. A região Sul e a Centro-Oeste mantiveram taxas superiores a 96%. Piauí (96%), Ceará (97%), Rio Grande do Norte (96%) e Pernambuco (97%) destacaram-se com as piores taxas na região Nordeste, apontou o boletim da Fiocruz.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.