Clique e assine por apenas 4,90/mês

Coronavírus: passagens aéreas podem ser ressarcidas, por lei, no Rio

Projeto faz parte de um grupo de nove propostas que serão votados nesta quarta-feira, em regime de urgência, na Alerj

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 18 mar 2020, 13h08 - Publicado em 18 mar 2020, 13h01

Nove projetos, todos eles relacionados à pandemia de coronavírus, serão votados em regime de urgência na Alerj nesta quarta-feira (18) – isso significa que podem ser aprovados em uma só votação e seguir para sanção do governador Wilson Witzel. Um deles determina o ressarcimento de passagens aéreas canceladas ou remarcadas por conta da crise de saúde. Outro Inclui o álcool gel na cesta básica, reduzindo a alíquota de ICMS para baixar o preço ao consumidor final.

Veja os outros projetos:  

Disponibilização gratuita das telefonias ao acesso a sites de comunicação, rede social e vídeos.

Proibição da interrupção do fornecimento de água por inadimplência

Continua após a publicidade

Proibição da venda superior a quatro unidades de produtos usados no combate ao coronavírus, tais como: álcool em gel, máscaras, papel higiênico, sacos de lixo, papel toalha, alimentos não perecíveis, enlatados e carnes.

Autoriza o Estado a usar prédios privados para realizar quarentena (exemplos: hotéis, pousadas, motéis e outros estabelecimentos de hospedagem), com posterior indenização.

Autoriza o estado a conceder bolsa-auxílio de um salário-mínimo para família de estudantes da rede pública que tiveram aulas suspensas

Autoriza o estado a dar renda mínima emergencial a empreendedores cadastrados no Cadastro Nacional de Empreendimentos Econômicos Solidários e Comércio Justo.

Continua após a publicidade

É importante deixar claro que o projetos que “autorizam” não têm efeito imediato: o Poder Executivo é que poderá colocá-los em prática ou não.

O Rio tem até o início da tarde desta quarta-feira 49 casos confirmados de coronavírus. Na cidade, a região mais afetada é a da Barra da Tijuca, com 5 casos, seguida de Leblon (4), São Conrado e Ipanema (3, cada um). Duas mortes, uma em Miguel Pereira e outra em Niterói, ainda dependem de confirmação da Secretaria de Saúde.

 

Publicidade