Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Coronavírus: número de mortes em favelas é bem maior que o oficial

Vítimas de algumas comunidades estão sendo registradas como residentes de bairros vizinhos; quem morre em casa não tem o óbito contabilizado oficialmente

Por Cleo Guimarães 14 Maio 2020, 11h33

Quantas pessoas já morreram nas favelas do Rio em decorrência do coronavírus? Pelo último boletim da prefeitura, foram 91 óbitos em 14 comunidades. Moradores e funcionários de Clínicas da Família destas localidades afirmam que o número é bem maior: em seu último levantamento, chegava a 129 – os dados, em ambos os casos, foram divulgados nesta quarta-feira (13).  Para organizadores dos levantamentos independentes (jornais comunitários e associações de moradores), a discrepância se deve principalmente a uma suposta falha no sistema do município: vítimas de algumas comunidades estão sendo registradas como residentes de bairros vizinhos.

Covid-19: MP recomenda lockdown no estado e no município do Rio

“Uma pessoa que morre no Complexo do Alemão pode ter o óbito registrado pela prefeitura em cinco bairros diferentes: Ramos, Olaria, Inhaúma, Bonsucesso e Engenho da Rainha, porque o registro é feito a partir do CEP de onde ela mora”, explica René Silva, fundador do  “Voz das Comunidades”. O jornal comunitário lançou esta semana um aplicativo em que acompanha dados de 20 favelas. O levantamento é feito da forma mais objetiva possível: “Nossa equipe de jornalismo fala direto com gerentes das clínicas das famílias, por isso a gente tem informações mais precisas”, conta René.

Lava Jato: PF cumpre 5 mandados de prisão por fraudes na saúde no Rio

Já o painel #CoronaNasFavelas, organizado pelo coletivo Frente Maré inclui duas comunidades que não constam do boletim oficial — os morros Pavão-Pavãozinho, situados em Copacabana e Ipanema, e da Providência, na Gamboa. Considerando ambas, o total chegaria a 148 óbitos em 16 favelas. O número real de óbitos pode ser ainda maior  porque várias pessoas morreram em casa, ou seja, não teriam entrado na estatística da prefeitura, feita a partir de registros em unidades de saúde. Segundo a Secretaria municipal de Saúde, as notificações de Covid-19 levam em conta os bairros declarados nas fichas dos pacientes e algumas favelas, como Pavão-Pavãozinho, não são bairros oficiais, por isso seus moradores são registrados com outros locais de origem. O número de casos confirmados de Covid-19 no Rio chegou a 11.026, com 1.363 mortos, segundo o levantamento oficial da prefeitura divulgado nesta quarta-feira (13).

Continua após a publicidade
Publicidade