Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Comitê científico defende que Réveillon no Rio pode ser mantido

Especialistas recomendam a exigência do passaporte vacinal em estabelecimentos de hospedagem e outros serviços, além dos locais onde já é obrigatória

Por Agência Brasil 30 nov 2021, 12h01

O Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC) do município do Rio, em reunião realizada na segunda (29), apontou que, caso o atual ritmo da pandemia permaneça no mesmo patamar, “as celebrações de final de ano poderão ser mantidas, como a festa de réveillon”. A decisão é embasada na melhora do cenário epidemiológico da cidade – evidenciada pela queda sustentada de casos, óbitos e outros indicadores de Covid-19 há semanas.

+ Copacabana é eleita a melhor praia do mundo por site internacional

O comitê recomendou que “a Secretaria Municipal de Saúde avalie a possibilidade e a viabilidade da exigência do passaporte vacinal em estabelecimentos de hospedagem e outros serviços, além de onde ele já é necessário”.

O CEEC informou ainda que com todos os casos sendo rastreados e com todas as pessoas que entraram em contato sendo testados, não há indicação de mudança nas medidas restritivas.

Ômicron

A nova variante Ômicron, originária da África do Sul, que tem colocado o mundo em alerta mais uma vez, também esteve em debate no encontro do Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19. Os especialistas reforçaram a importância da SMS continuar investindo em testagem e no monitoramento de vigilância genômica.

+ Calendário da vacina: pessoas com menos de 60 anos já podem tomar a dose de reforço

Continua após a publicidade

Eles alertaram também que ainda não há dados suficientes para avaliar a transmissibilidade e virulência da Ômicron, e que a maioria dos casos reportados até então foram leves.

Cobertura vacinal

A nova cepa é motivo para ampliar a cobertura vacinal dos cariocas que, nesta segunda (29), estava com 76,8% da população total vacinada com as duas doses. O CEEC destacou ainda que todas as medidas para redução dos riscos contra Covid-19  foram adotadas e que a alta cobertura vacinal neste momento garante a imunidade coletiva e atual taxa de transmissão de 0,66.

Quem for a um posto de saúde para completar o esquema vacinal contra a Covid-19 também deve aproveitar e se imunizar contra a gripe no mesmo dia. Entre os 11 000 pacientes sintomáticos respiratórios atendidos nos últimos 15 dias avaliados pelo CEEC, todos testaram negativo para Covid.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

O Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 do Município do Rio é formado por especialistas da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), de universidades, de centros de estudo e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Continua após a publicidade

Publicidade