Clique e Assine a partir de R$ 3,90/mês

Combate ao Aedes aegypti no Rio terá 71 mil homens das Forças Armadas

Dos 220 mil militares das Forças Armadas que participarão no dia 13 de fevereiro da campanha contra o mosquito Aedes aegypti em todo o país, maior efetivo é o do Rio

Por Agência Estado Atualizado em 5 dez 2016, 11h30 - Publicado em 5 fev 2016, 14h35

Dos 220 mil militares das Forças Armadas que participarão no dia 13 de fevereiro da campanha contra o mosquito Aedes aegypti em todo o País, 71 mil estarão em trinta cidades do Rio de Janeiro, informou o Ministério da Defesa na tarde desta quinta (4).

+ Prefeitura investirá R$ 36 milhões em hospitais da Zona Oeste

+ Garis começam limpeza do Sambódromo com foco no Aedes aegypti

O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Alberto Beltrame, que esteve nesta quinta-feira no Rio, disse que a ação nacional acontecerá em 300 municípios onde vive 70% da população brasileira. Os militares distribuirão panfletos e orientarão a população sobre como eliminar criadouros do mosquito transmissor de dengue, chikungunya e zika vírus.

No dia 15 de fevereiro, 50 mil militares estarão em 150 municípios do País, em ações diretas nas residências, em busca de focos do mosquito, ao lado de agentes da vigilância sanitária.

Em solenidade de entrega de vinte carros usados no combate ao mosquito a vinte municípios, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) anunciou que, na segunda quinzena de fevereiro, 600 bombeiros ajudarão nas ações de prevenção, ao lado dos vigilantes sanitários. “Os bombeiros são bem recebidos em todas as comunidades, vão ajudar muito”, afirmou o governador.

Alberto Beltrame e o secretário estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Junior, chamaram atenção para o fato de que o Aedes aegypti “é um mosquito domiciliar”. “É fundamental que o combate se dê dentro das residências”, afirmou Teixeira.

Continua após a publicidade
Publicidade