Clique e assine por apenas 3,90/mês

Chefe de cozinha de Cabral recebia salário do Senac, segundo MPF

Ana Rita Menegaz chegou a receber R$ 18.248 em um mês

Por Redação VEJA RIO - 23 fev 2018, 15h08

De acordo com investigação do Ministério Público Federal do Rio, a chefe de cozinha do ex-governador Sérgio Cabral e sua governanta recebiam salários do Sesc/Senac, cujo ex-presidente, Orlando Diniz, que também é presidente da Fecomércio, foi preso pela Polícia Federal em um desdobramento da Lava-Jato no Rio.

A chefe de cozinha Ana Rita Menegaz e a governanta Sônia Ferreira Baptista receberam salário da entidade durante muitos anos, segundo o MPF. A primeira teve contrato com o Senac de março de 2007 até maio do ano passado, com remuneração média mensal que começou em R$ 8 mil e, após sucessivos reajustes, chegou a R$ 18.248. Sônia, cujo contrato foi firmado em fevereiro de 2004, recebeu salário inicial de R$ 6.298 e terminou recebendo $ 10.591, em abril de 2012.

Publicidade