Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Cerimônias do Rio 2016 serão dez vezes mais baratas que Londres

Orçamento da abertura e do encerramento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos está em 127 milhões de reais

Por Redação Veja Rio Atualizado em 5 dez 2016, 11h53 - Publicado em 23 set 2015, 17h01

As cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016 terão um orçamento de cercade R$127 milhões, dez vezes menor do que a dos Jogos de Londres, em 2012. O valor foi anunciado nesta terça (22), pelos diretores Fernando Meirelles, Andrucha Waddington, Daniela Thomas, pela carnavalesca Rosa Magalhães e pelo supervisor criativo Abel Gomes. 

+ Reta final da Olimpíada cria 90 000 postos de trabalho

Serão utilizados 30 mil voluntários que podem se inscrever até o dia 30 de setembro, sem a necessidade de ser profissinal da área de dança ou canto. Os ensaios começam em abril de 2016.

Uma das diretoras do espetáculo, Daniela Thomas afirmou que elementos da cultura popular explorados. “Nós teremos os materiais mais básicos, que fazem parte da cultura brasileira. Vamos fazer uma expressão popular é bacana”, afirmou a diretora. “Fizemos uma rodada de conversas com cabeças que achamos que entendiam o Brasil. Digerimos tudo e chegamos a uma síntese”, completou Fernando Meirelles, ressaltando que o desafio é mostrar um Brasil sem cair no clichê já conhecido lá fora. 

+ Começa a venda de ingressos para os Jogos Paralímpicos

Como os acordos para compra de materiais foram feitas antes da alta do dólar, a disparada do valor da moeda americana não terá interferência no orçamento. A falta de entradas do Maracanã e o tamanho do estádio, porém, são desafios à equipe. “As cadeiras são muito baixas, e se colocar muita coisa ao redor do campo, oculta a visão de quem está nelas. Mas os limites logísticos são um desafio”, afirmou Fernando Meirelles.

Outra preocupação é com possível vaias, já que a presidente Dilma Rousseff fará um discurso na cerimônia. “Nelson Rodrigues afirmou que, no Maracanã, até minuto de silêncio é vaiado. Tudo pode fazer parte do espetáculo”, disse a carnavalesca Rosa Magalhães.

Continua após a publicidade
Publicidade