Continua após publicidade

Alô donos de celular: polícia prende 8 por revenda de iPhones roubados

Ladrões agiam no Centro, e os aparelhos eram vendidos lá mesmo ou anunciados pela internet; comprá-los pode configurar crime de receptação

Por Da Redação
15 fev 2023, 17h09

Agentes da 5ª DP (Centro) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ) iniciaram nesta quarta (15) a Operação Ligação Direta, contra a revenda de iPhones roubados no Rio. O objetivo era cumprir 19 mandados de prisão e 12 de busca e apreensão na capital e nos municípios de Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Magé, Mesquita, Japeri, São Gonçalo e Arraial do Cabo. Até o fim da manhã desta quarta (15), oito pessoas haviam sido presas – dois dos alvos já estavam encarcerados. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Especializada da Capital.Segundo as investigações, os assaltantes agiam no Centro do Rio e roubavam cerca de 160 aparelhos por mês.

+ Ludmilla entra para time de intérpretes do Grupo Especial no Carnaval 2023

Os objetos dos roubos eram vendidos lá mesmo ou anunciados em plataformas na internet como se fossem originais. A quadrilha também tinha máquinas de cartão de crédito e entregava os telefones em pontos movimentados, como estações de metrô, com nota fiscal falsificada da Apple. Mas, quando os compradores tentavam ligar o telefone, descobriam que o celular estava bloqueado.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

“Ao comprar um celular sem nota fiscal, de procedência duvidosa, o cidadão pode estar cometendo o crime de receptação. Esse tipo de compra, que parece vantajosa pelo preço abaixo do praticado no mercado, alimenta toda uma cadeia criminosa e pode ter custado a vida de uma vítima”, explicou o delegado Deoclécio Assis, titular da 5ª DP e responsável pela operação. Segundo ele, é preciso desconfiar de preços muito atrativos e de exigências como pagamento à vista ou por Pix com entrega sempre na rua ou em estações do metrô. “Fuja de sites duvidosos e perfis desconhecidos em redes sociais. Compre sempre em lojas confiáveis, com nota fiscal legal e garantia de procedência lícita”, recomendou o delegado.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.