Continua após publicidade

Caso do brigadeirão: namorado de Suyany viu comprimidos serem moídos

Segundo ele, pó foi guardado em saquinhos de sacolé; conteúdo teria sido usado no doce que envenenou o empresário Luiz Marcelo Ormond

Por Da Redação
10 jun 2024, 17h54

O namorado de Suyany Breschak — apontada pela polícia como mandante do assassinato do administrador de imóveis Luiz Marcelo Ormond — viu a namorada da vítima, Júlia Andrade Cathermol Pimenta, de 29 anos, em uma cena ‘suspeita’, moendo remédio em casa, e mencionou uma mensagem que ela teria enviado após o crime. “Eu vi a Júlia moendo remédio lá em cima da pia lá de casa. Elas pegaram esses pozinhos do remédio que estava virando pó, colocavam tipo num saquinho de sacolé“, disse Leandro Jean Rodrigues Cantanhede ao “Fantástico”, da TV Globo. Segundo ele, após passar o remédio moído para o saquinho, o recipiente recebia um nó e, então, era guardado. Suyany teria dito a ele ainda que “ajudou a Júlia com o negócio de remédios”.

+ CRLV digital: como emitir o boleto relativo a 2023

Júlia se entregou à polícia na noite da última terça (4), na 25ª DP (Engenho Novo). Ela é acusada de ter envenenado o namorado com um brigadeirão. À receita, ela teria acrescentado 60 comprimidos de um medicamento à base de morfina. Na entrevista, Cantanhede diz não saber se a companheira seria capaz “de auxiliar alguém a matar outra pessoa”.

Julia teria passado ao menos três dias convivendo com o corpo de Luiz Marcelo no apartamento dele, no Engenho Novo. Ainda segundo o namorado de Suyany, que está presa desde o último dia 28, a suposta assassina teria mandado mensagem dizendo que empresário estava morto. “Ela chegou a falar que a Júlia mandou uma mensagem para ela assim: ‘Eu vim aqui malhar, estou aqui malhando e ele está lá em cima, mortinho‘”, disse ele ao “Fantástico”. Segundo ele, as armas de Ormond, que desapareceram de sua casa, foram vendidas por Suyany pelo valor de R$ 14 mil.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Segundo o delegado Marcos Buss, titular da 25ª DP (Engenho Novo), já há elementos suficientes para acreditar que Suyany é a mandante do crime. Ela se apresentava como “cigana” e disse à polícia que Júlia é sua cliente antiga, para quem fazia trabalhos de limpeza, descarrego e banhos. A namorada de Ormond teria com ela uma dívida de R$ 600 mil.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.