Continua após publicidade

Brigadeirão: suspeitas se encontraram no dia em que corpo foi achado

Júlia Cathermol Pimenta e Suyany Breschak, presas por envolvimento na morte do empresário Luiz Marcelo Ormond, estiveram juntas em São Pedro da Aldeia

Por Da Redação
14 jun 2024, 17h46

Júlia Cathermol Andrade Pimenta e Suyany Breschak, presas por envolvimento na morte do empresário Luiz Marcelo Ormond, em maio de 2024, se encontraram em um hotel no dia em que o corpo foi encontrado. É o que indicam duas testemunhas ouvidas sobre o que ficou conhecido como o caso do brigadeirão. A polícia acredita que Suyane, que se apresenta como cigana e teria feito trabalhos espirituais para Júlia, é a mandante do crime, executado pela cliente, que era namorada da vítima. Ela foi vista por uma das testemunhas moendo 60 comprimidos de um medicamento à base de morfina que teria sido usado na receita do doce.

+ Com ultraprocessados barrados, pode salsichão na festa junina da escola?

Leandro Jean Rodrigues Cantanhede, namorado de Suyany, e Victor Ernesto de Souza Chaffin, que foi preso pela receptação do carro da vítima, deram relatos semelhantes à 25ª DP (Engenho Novo), que investiga o caso. Os dois relataram o encontro no hotel Tahiti e em outra pousada em São Pedro da Aldeia, no dia em que o corpo de Ormond foi encontrado em seu apartamento. Uma dessas testemunhas afirmou que ouviu uma mensagem de voz de Júlia para Suyany. Em tom de gozação, ela dizia que estava na academia do prédio da vítima, enquanto ele estava “mortinho” no apartamento.

Leandro Jean contou que no dia da morte do empresário, 20 de maio, Suyany pediu para que ele a levasse até o motel Taiti, para que ela encontrasse com Júlia, por volta das 20h. Duas horas depois, ela pediu para Leandro buscá-la na pousada Laguna Beach. Leandro foi acompanhado de Victor Chaffin até o local, e foram lanchar com Suyany e Júlia. Segundo Leandro, ele foi embora, mas Victor permaneceu na pousada, porque Júlia teria dito que tinha medo de dormir sozinha.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Victor Chaffin, que disse ter tido um relacionamento anterior com Suyany, contou ter pedido o carro da vítima emprestado porque queria buscar sua namorada, que chegaria de viagem na manhã seguinte. E que dirigiu o carro pela primeira vez no dia 18 de maio, em Araruama. Victor alegou ter esquecido as chaves de sua casa com Suyany e que por isso foi até o hotel Tahiti para buscá-la, tendo seguido para a pousada Laguna Beach. Ele confirmou que dormiu lá porque Júlia estaria com medo de dormir sozinha.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.