Clique e assine por apenas 4,90/mês

Bens de luxo dos operadores de Cabral vão a leilão

Os itens, que incluem duplex na Barra e relógios, foram avaliados em 16 milhões de reais no total

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 11 out 2017, 17h34 - Publicado em 11 out 2017, 17h32

Nesta quarta (11), os bens dos operadores do ex-governador Sérgio Cabral vão a leilão pela Justiça Federal do Rio. As posses totalizam 16 milhões de reais, e pertenciam a três suspeitos de atuar como assessores de Cabral na organização criminosa que, de acordo com o Ministério Público Federal, desviou milhões dos cofres públicos.

Entre os itens leiloados está, por exemplo, o duplex de 300 metros quadrados de Ary Filho, assessor e operador financeiro de Cabral, na Barra da Tijuca. Avaliado em 5,4 milhões de reais, trata-se do bem mais caro do catálogo. A cobertura de frente para o mar tem piscina, e fica em um condomínio que abriga uma espécie de parque aquático.

Vão a leilão ainda três unidades residenciais, duas salas comerciais e outro duplex de Filho, que tem 250 metros quadrados e custa R$ 4,2 milhões, também na Barra. O prédio possui piscina, quadras de tênis, salão de jogos, parque infantil e churrasqueira.

relógios operador de Sérgio Cabral
Divulgação/Divulgação

Os outros bens são um carro de Wagner Jordão Garcia e relógios de luxo de Hudson Braga, que foi secretário do ex-governador. Os relógios foram avaliados entre 10 000 e 14 000 reais. Apenas um deles custa menos, 700 reais.

A mansão de Cabral em Mangaratiba, além de lanchas e jet boats, seriam leiloados no dia 3 de outubro, mas ele recorreu e obteve liminar que adiou a venda.

Continua após a publicidade
Publicidade