Clique e assine por apenas 4,90/mês

Ato contra o fim do Centro Presente levou 3 mil pessoas ao Polo Saara

Número representa as prisões em flagrante realizadas pelo programa de segurança

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 20 jun 2018, 15h13 - Publicado em 20 jun 2018, 13h54
O Polo Saara fez barulho contra o fim do Centro Presente. Mesmo após algumas notícias informando uma possível negociação para que o Centro Presente continue, os lojistas da Saara mantiveram o “apitaço” nesta quarta (20) e fizeram barulho, com três mil apitos, para que o programa de segurança não deixe de proteger a região. De acordo com os lojistas, as negociações significam algo positivo, mas há a necessidade de garantia até que o contrato de renovação seja realmente assinado e assumido como compromisso do Estado ou da Prefeitura, e seus patrocinadores. O número de apitos é o mesmo de prisões em flagrante realizadas pelo Centro Presente em seus dois anos de atuação.  De acordo com o Major Rocha, um dos agentes responsáveis, em dois anos de trabalho também foram realizados 787 mandatos de prisão.
Publicidade