Continua após publicidade

Após ter barras de metal roubadas, ciclovia ganhará grades novas

Ciclovia Tima Maia, que liga o Leblon à barra da Tijuca, teve peças que compunham a estrutura de proteção roubadas

Por Agência Brasil Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 3 jan 2018, 17h50 - Publicado em 3 jan 2018, 16h28

A prefeitura do Rio de Janeiro informou que dará início, nesta quarta-feira (3), à instalação de guarda-corpos provisórios na Ciclovia Tim Maia, que liga o Leblon, na zona sul da cidade, até a Barra da Tijuca, na zona oeste. A medida será tomada após barras de metal que compunham a estrutura original terem sido arrancadas e furtadas. Há trechos onde não há nenhuma proteção, deixando expostos os ciclistas que se aventuram pelo local.

Os guarda-corpos provisórios estão sendo produzidos com ferro galvanizado. A Secretaria Municipal de Conservação informou em nota que, enquanto ocorre a instalação, também será feita tomada de preço para a aquisição da estrutura definitiva, que é de alumínio. “Como o material foi furtado em vários momentos, a metragem precisou ser recalculada. Além disso, por ser um item especial de fabricação específica, haverá a necessidade de aguardar a finalização da produção para instalação”, disse o órgão.

O valor do prejuízo não foi informado. Para prevenir e combater novos furtos, a secretaria disse que a ciclovia passará a ser monitorada por câmeras. Os equipamentos serão instaladas em parceria com o Centro de Operações da prefeitura do Rio.

Trecho interditado

Continua após a publicidade

Em 2016, durante uma ressaca do mar, parte da estrutura da Ciclovia Tim Maia foi atingida por ondas e desabou. Duas pessoas morreram. Desde então, um trecho encontra-se interditado e sem previsão de reabertura. Obras foram realizadas no local, mas um relatório do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) apontou que elas não foram ainda suficientes e que há riscos de novos desabamentos.

Dezesseis réus respondem por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Entre eles, estão profissionais do consórcio Concremat-Concrejato, responsável pela construção da ciclovia, e da Geo-Rio, empresa pública vinculada à Secretaria Municipal de Obras. A primeira audiência do processo ocorreu em outubro.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.