Clique e assine por apenas 3,90/mês

Anúncio da OMS sobre microcefalia ainda não impacta hotéis do Rio

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ) informou que o anúncio de emergência da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a microcefalia em áreas com zika ainda não impactou diretamente na atividade hoteleira

Por Agência Estado - Atualizado em 5 dez 2016, 11h31 - Publicado em 2 fev 2016, 15h58

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ) informou, na manhã desta terça (2), que o anúncio de emergência da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a microcefalia em áreas com zika ainda não impactou diretamente na atividade hoteleira. Segundo a associação, não foram registradas desistências de viagens ao Rio motivadas pela situação. Porém, informou que está atenta às ações do governo para solucionar a questão.

+ Olimpíadas não serão canceladas por causa do vírus Zika, diz ministro

+ Rio vai reforçar combate ao Aedes aegypti para evitar doenças na Olimpíada

+ Turistas podem ficar sem atendimento médico nas Olimpíadas

“A ABIH-RJ acompanha o lamentável cenário de infestação de zika vírus, dengue, chikungunya no País. A associação confirmou junto à Secretaria de Saúde que a zona sul e a Barra da Tijuca, regiões onde estão concentrados os empreendimentos hoteleiros instalados na cidade, são classificadas como áreas de baixo risco, com menor incidência de casos”, afirmou a entidade em nota. “Até o momento, não houve impacto direto para a atividade hoteleira, já que não foram registrados cancelamentos ou adiamentos com esta motivação.”

A decisão da OMS foi divulgada na última segunda-feira, 1º. A organização aconselhou que viajantes sejam informados sobre os riscos do vírus em cidades com incidência.

Continua após a publicidade
Publicidade