Clique e assine por apenas 4,90/mês

Covid-19: Aeroporto Santos Dumont adota novas medidas de proteção

Orientações anunciadas nesta segunda (8) foram determinadas pela Anvisa

Por Agência Brasil - Atualizado em 9 jun 2020, 11h59 - Publicado em 9 jun 2020, 11h26

O Aeroporto Santos Dumont, localizado na região central do Rio de Janeiro, adotou novas medidas sanitárias de proteção a viajantes e funcionários estabelecidas pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em função da pandemia de covid-19.

Segundo o superintendente do aeroporto, Sérgio Kennedy, o objetivo é que todas as atividades transcorram de acordo com os cuidados exigidos pelo combate ao novo coronavírus, causador da covid-19. “Além disso, intensificamos a limpeza de áreas comuns do aeroporto e ampliamos a oferta de itens de higiene, como sabão, papel toalha e álcool em gel em todo o terminal”, disse Kennedy.

Ele destacou a necessidade de todos os passageiros seguirem as recomendações, respeitarem a sinalização e usarem máscaras, pensando não só em sua própria proteção, mas na das demais pessoas.

+Covid-19: Rio passa de 69 mil casos da doença

Continua após a publicidade

Cuide-se +

As medidas fazem parte de uma campanha de orientação aos passageiros e funcionários da rede de aeroportos da Infraero no combate ao novo coronavírus. A campanha “Cuide ainda + de você e dos outros” dertermina ações como a colocação de adesivos de sinalização e orientação por todo o caminho feito pelo viajante para embarque e desembarque de um voo; avisos em áudio e vídeo nos sistemas de som e painéis de voos, além de de cartazes pelos terminais. A iniciativa alerta também para o uso de máscaras durante a permanência no aeroporto e na viagem; o respeito ao distanciamento entre os frequentadores dos terminais; e higienização das mãos.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A Infraero opera 48 aeroportos em todo o Brasil

Continua após a publicidade

A nova sinalização começou a ser aplicada em 14 aeroportos de capitais e fronteiras (Manaus, Belém, Macapá, São Luís, Boa Vista, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Goiânia, Campo Grande, Palmas, Rio Branco, Foz do Iguaçu e Porto Velho) e será estendida, de forma gradativa, a outros terminais aéreos. As empresas também poderão contribuir com esse trabalho orientando seus funcionários e clientes. A campanha objetiva preparar os terminais para o aumento da circulação de pessoas, garantindo a segurança de todos. No Santos Dumont, além das telas informativas e dos avisos sonoros, os passageiros encontrarão adesivos instrutivos nos momentos do check-in (registro de entrada), embarque, desembarque, nas áreas de raio-x, nas esteiras de retirada de bagagens; ao usar escadas, elevadores e longarinas; ou mesmo na entrada de estabelecimentos comerciais e praça de alimentação. As marcações alertam para a necessidade de manter distanciamento de 2 metros entre pessoas e para formas de prevenção do vírus. Nos elevadores, por exemplo, recomenda-se ocupação máxima por duas pessoas e, nos banheiros, instruem que se lavem bem as mãos. Além disso, os pontos de check-in contam agora com barreira acrílica para proteção de passageiros e atendentes das companhias aéreas.

+Inea vai instalar ecobarreiras em lagoas no Rio

Outras medidas

A Anvisa inclui ainda recomendações de evitar o manuseio de cartões de embarque impressos e de usar, se possível, cartões de crédito ou smartphones para pagamento de compras em lojas, restaurantes e lanchonete e de serviços no aeroporto As pessoas que estiverem em circulação nas áreas públicas do aeroporto têm de usar máscaras, e os empregados da Infraero ou outras pessoas que trabalhem nos aeroportos da empresa precisam de equipamentos de proteção individual (EPIs) .

Continua após a publicidade

A divulgação de instruções de higiene, proteção e distanciamento social deve ser promovida em sistema de som, painéis informativos de voos, cartazes e cavaletes distribuídos nas áreas de embarque e desembarque de passageiros e áreas operacionais e administrativas dos aeroportos, banheiros, estacionamento e área de espera dos transportes públicos; A disponibilidade de álcool em gel, sabonete líquido e papel toalha deve ser monitorada em todos os aeroportos da rede Infraero, que precisam ainda reforçar a limpeza e desinfecção de toda a área de movimentação de passageiros, pontes de embarque, ônibus de embarque e desembarque e demais espaços de uso comum. A orientação é evitar aglomerações em lojas, restaurantes e lanchonetes e que haja maior espaçamento entre os passageiros nos embarques e desembarques, seja em fingers (equipamento que faz a ligação entre o terminal e o avião) ou procedimento remoto (ônibus ou a pé).

+Congestionamento no Rio mais que quadruplica nesta segunda (8)

Operação

A Infraero informou que, desde o início da pandemia, o terminal paraense e os demais aeroportos de sua rede continuam operando, sem interrupção, na prestação dos serviços. A oferta de voos está em consonância com a malha aérea definida pelas empresas e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A orientação para o passageiro é que, antes de ir para o aeroporto, verifique diretamente com a companhia aérea se a programação do voo está mantida ou foi alterada. Para informações sobre remarcações e cancelamentos de voos, o passageiro deve fazer contato direto com as empresas, que passaram a adotar uma nova malha aérea, divulgada pela Anac no final de março passado. Em caso de dúvida sobre os principais direitos e deveres dos passageiros, a recomendaççao é que se consulte o Guia do Passageiro. A Infraero informou, ainda, que cabe às companhias aéreas estabelecer o fluxo de cancelamentos e alterações na malha, “não cabendo à Infraero essa gestão”. As principais companhias que operam na Rede Infraero são Latam, Gol, Azul, Map,Voepass, American Airlines, Aerolíneas Argentinas, Lan Chile (Grupo Latam) e Tap. Mais informações sobre o transporte aéreo estão disponíveis no site da Anac.

Publicidade