Clique e assine por apenas 4,90/mês

Aeronáutica vai investigar queda de ultraleve que matou dono da Pavelka

O empresário e um publicitária morreram no acidente, em Santa Cruz, no fim de semana

Por Redação VEJA RIO - 23 jul 2018, 13h28

A Aeronáutica vai investigar a queda de um avião ultraleve que deixou dois mortos na tarde de sábado (21), na altura da Rua Mariana, em Santa Cruz: o publicitário Marcos Calvi, de 56 anos, e o empresário Thomas Pavelka, de 59, dono da tradicional confeitaria Pavelka, de Petrópolis.

Segundo testemunhas, a aeronave bateu em um barranco pouco depois de decolar e explodiu. Carbonizados, os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Campo Grande.

A morte do empresário Thomas Pavelka gerou comoção em Petrópolis, onde ele morava e era proprietário da confeitaria fundada há 66 anos. Marcos Calvi era um dos sócios da Casa de Criação, agência de publicidade no Centro. Foram várias as manifestações nas redes sociais.

De acordo com amigos, Calvi era um dos donos da aeronave e Pavelka, que também pilotava, estava entrando como sócio para dividir as despesas da aeronave, que, segundo a Anac, estava em situação regular.

Continua após a publicidade
Publicidade