Clique e assine por apenas 4,90/mês

Advogada carioca dá aconselhamento profissional a jovens carentes

Sabrina Espíndola deixou um cargo público e criou o projeto social Desperte Seu Poder, que atende gratuitamente trinta jovens de 14 a 24 anos

Por Heloiza Gomes - Atualizado em 9 mar 2018, 15h34 - Publicado em 9 mar 2018, 15h33

Sabrina Espíndola se formou em direito e estudou por mais de dois anos até passar em um concurso público. Ao fim do esforço, percebeu que havia tomado a decisão errada: ela não tinha nada a ver com a área. A experiência a fez pensar na quantidade de jovens, principalmente aqueles sem recursos financeiros, que se sentem perdidos na hora de escolher uma profissão ou que, como ela, seguem por caminhos equivocados. “Queria ajudá-los a descobrir seu verdadeiro talento”, conta a advogada. Especializada em desenvolvimento humano e coach comportamental, ela criou o projeto social Desperte Seu Poder. A iniciativa acontece dentro do Círculo dos Amigos do Menino Patrulheiro da Mangueira (Camp Mangueira), onde Sabrina atende, gratuitamente, trinta jovens de 14 a 24 anos — todos da comunidade e participantes do programa Jovem Aprendiz.
Mensalmente ela realiza seis encontros, de duas horas cada um, em que são apresentados temas como a importância do autoconhecimento, as profissões do futuro e a teoria das múltiplas inteligências, conceito desenvolvido em 1982 pelo psicólogo americano Howard Gardner, que contestou os modelos clássicos de medição do Q.I. “É como se a gente colocasse na mesa um grande quebra-cabeça para que, no final, eles montem um plano de vida e tenham autonomia para pensar no que querem profissionalmente, vislumbrando um futuro mais esperançoso”, explica. Sabrina já sentiu o efeito do programa em alguns orientados, mas reconhece que ainda é difícil a retenção. “Teve um rapaz que começou a economizar com as saídas noturnas para pagar um curso. Por outro lado, a evasão é grande. Só uma parte conclui o programa.” Apesar disso, ela não pensa em desistir. “Quero realizar o curso em outros lugares e preparar uma versão mais lúdica para crianças a partir dos 10 anos”, planeja Sabrina, mesmo sem patrocínio.

Publicidade