Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Vinoteca Por Marcelo Copello, jornalista e especialista em vinhos Marcelo Copello dá dicas sobre vinhos

Vertical de Romanée-Conti x La Tache

Em prova às cegas, algumas das melhores safras dos mítos Romanée-Conti e La Tache foram confrontados. Qual o melhor?   Por Marcelo Copello   Dar notas e comparar o La Romanée-Conti ao La Tache é como comparar um Picasso a um Rembrandt. Saímos da esfera da mera bebida e entramos no universo das obras de […]

Por marcelo Atualizado em 25 fev 2017, 17h18 - Publicado em 10 nov 2016, 10h00

Em prova às cegas, algumas das melhores safras dos mítos Romanée-Conti e La Tache foram confrontados. Qual o melhor?

 

Por Marcelo Copello

 

Dar notas e comparar o La Romanée-Conti ao La Tache é como comparar um Picasso a um Rembrandt. Saímos da esfera da mera bebida e entramos no universo das obras de arte, absolutas e incomparáveis, expressões máximas de um estilo, um local e uma época. As notas e a comparação em si são puro deleite e o que menos importa. O fato relevante é constatar onde o vinho pode chegar e onde ele pode nos levar, já que falamos de vinhos que chegam ao máximo, ao ápice, e nos levam a voar algo e mergulhar fundo.

 

Suas qualidades intrínsecas, somadas á sua história, sua raridade, seu alto preço e sua fama tornam a experiencia de degustar um La Romanée-Conti uma ocasião inesquecível. Seu irmão La Tache não se curva diante do mito e ousa desafiá-lo. Nós aplaudimos e nos deliciamos com a melhor dúdiva do mundo, Romanée-Conti ou La Tache?

 

Matamos esta dúvida em uma raríssima prova, totalmente as cegas, sem saber vinhos nem safras (fica aqui o agradecimento ao amigo que proporcionou esta raríssima prova). Foram 10 taças embaralhadas contendo 5 grandes safras de cada, Romanée-Conti e La Tache, 1962, 1978, 1983, 1985 e 1999, vinhos de 14 a 51 anos de idade! Reduzir estes vinhos à cinco linhas de texto é quase uma blasfêmia, mas vamos aos ossos do ofício.

La Tache 1962

1962 foi uma safra  injustiçada quando lançada. Os vinhos eram imbebiveis jovens, duros de tato taninos e acidez. Depois de 50 anos estão fantásticos, em especial o La Tache! Alaranjado claro. Aroma expressivo e puro, complexo, com pimentas, especiarias exótico, frutas secas, flores secas, canela, nota animal de couro. Paladar quente e macio, encorpado, profundo, com camadas e sabores, cresceu muito ao longo da prova. Parece uns 20 anos mais novo, o melhor La Tache que já provei (junto com o 1999), supera o RC neste ano.

Nota 98 pontos

 

La Romanée-Conti 1962

Granada alarajnado entre claro e escuro. Aroma rico, com notas de fruta doce, toffe, defumados, especiarias exóticas, algo como curry, leveduras, cogumelos porcini, chá. Paladar denso e macio, com taninos extremamente finos, boa acidez, profundo, maduro e extremamente longo.

Nota 95 pontos

 

 

La Tache 1978

Infelizmente o vinho estava morto, uma má garrafa.

 

La Romanée-Conti 1978

Um daqueles vinhos míticos de tirar o fôlego e a fala. Alaranjado claro. Aroma finíssimo, puro, rico, penetrante, envolvente, com muitas especiarias e madeiras, cedro,sandalo,pimentas, anis,  amoras, balsâmicos, amendoas, caldo de carne, terra molhada. Paladar macio, texturizado, em camadas, taninos finíssimos aveludados, ótima acidez e ainda presentes, muito longo, esbajnado aristocracia.

Nota 98 pontos

 

La Tache,1983

Continua após a publicidade

Granada escuro. Aroma intenso e puro, com notas de azeitonas, cacau, violetas, chá, frutas secas, terra molhada, couro, defumados, fundo mineral. Paladar encorpado e aveludado, quase mastigável, com taninos finos e presentes. Um La Tache imponente.

Nota 95 pontos

 

La Romanée-Conti 1983

O mais escuro de toda a prova, quase turvo. Aroma rico,explosivo, com notas de couro, porcini, terra molhada, frutas negras muito maduras. Paladar musculoso, gordo, carnudo, longo e profundo, com muitos taninos. O mais encorpado da prova, um RC mais de força, sem todo o seu finesse.

Nota 97 pontos

 

La Tache,1985

Alaranjado claro. Aroma intenso, perfumado, com notas de evolução, notas químicas de remédio, borracha, terra molhada, couro, rosas secas, madeiras, cedro, café. Paladar estruturado, com taninos vivos e finíssimos, muito longo, complexo. A cor diz que está maduro para sua idade, mas seu currícilo me diz que tem algumas décadas pela frente.

Nota 96 pontos

 

La Romanée-Conti 1985

Alaranjado claro. Aroma basstante mineral, com bastante terra molhada, muitas especiarias,canela, cravo, pimentas, flores maceradas, notas animais de couro, cerejas, ameixas, cogumelos. Paladar concentrado, multidimensional, taninos finíssimos, aveludados e presentes, acidez excelente, tudo em comovente harmonia. Tem a força do 83 e a complexidade do 78. Um dos mais expressivos e perfeitos RC.

Nota 100 pontos

 

La Tache,1999

Cor escura e jovial, ainda violácea. Nariz glorioso e profundo, potente, frutado e floral, picante, tostados, mineral, profundo e muito vivo, com muitas e muitas especiarias. Paladar potente e quente, com taninos e acidez bem vivos, em perfeito equilibrio, com profunfidade, pureza e complexidade, muito longo. Um dos melhroes la Tache de todos os tempos.

Nota 98 pontos

 

La Romanée-Conti 1999

Granada escuro. Aroma denso, intenso, puríssimo, complexo, com uma gama que vai das frutas maduras, madeiras, especiarias, flores, tudo, com notas de cerejas, amoras, rosas, violetas, pimentas, anis, cravo, carvalho, cedro, sândalo. Paladar concentrado e delicado, com taninos acetinados bem presentes, finíssimos, profundo, muito preciso bem proporcionado, completo, um dos melhores, uma verdadeira festa no palato.

Nota 100 pontos

 

Leia também: LE MONTRACHET, na prova do maior branco do mundo, quem ganha? Romanée-Conti ou Leflaive?

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade