Clique e assine por apenas 4,90/mês
Solta o som Por Blog Aqui cabe de tudo: do popular ao alternativo, do clássico ao moderno. Confira as novidades, bastidores e críticas sobre o que acontece no mundo da música dentro e fora do Rio de Janeiro

O bisavô do sintetizador

  Admirável mundo novo, hoje espalhado por miríades de subgêneros e sempre associado à última moda, a música eletrônica deu seus primeiros passos lá no começo do século passado. Em 1929, Friedrich Trautwein criou, em Berlim, o trautonium,  um curiosíssimo instrumento que, no lugar do teclado, trazia resistores sobre uma chapa de metal – pressionados, […]

Por Pedro Tinoco - Atualizado em 25 fev 2017, 18h53 - Publicado em 1 nov 2013, 18h45

 

Oskar Salas e seu trautonium em 1938

Oskar Sala e seu trautonium em 1938

Admirável mundo novo, hoje espalhado por miríades de subgêneros e sempre associado à última moda, a música eletrônica deu seus primeiros passos lá no começo do século passado. Em 1929, Friedrich Trautwein criou, em Berlim, o trautonium,  um curiosíssimo instrumento que, no lugar do teclado, trazia resistores sobre uma chapa de metal – pressionados, produziam som. O invento original foi prontamente adotado por Oskar Sala (1910-2002), físico formado e pianista alemão que, ao lado do compositor e violinista Paul Hindemith, outro conterrâneo, botou para quebrar: em 1930, os dois protagonizaram, no Berliner Musikhochschule Hall, o concerto chamado Nova Música Berlim 1930, concebido para apresentar o avô do sintetizador ao público. No ano seguinte, Oskar Sala, em turnê pela Alemanha, foi o solista em obras como Concerto para Trautonium e Quarteto de Cordas, de Hindemith, e Concerto para Trautonium e Orquestra, de Harald Genzmer. Em parceria com a Telefunken, Oskar Sala também colaborou para o desenvolvimento do primeiro modelo mais popular do trautonium, que teve 200 peças produzidas. Curiosidade: o físico e músico emprestou sua sonoridade singular à trilha sonora de Os Pássaros, clássico de Hitchcock. Conto isso tudo aqui depois que Fernando Moura, tecladista que já foi assunto no Solta o Som, me mostrou o vídeo abaixo. Confiram Oskar Sala e seu trautonium espetacular.

p.s. – não consegui jogar aqui o vídeo nem por um knüppel, então seguem dois links do músico e físico em ação:

Continua após a publicidade

http://www.youtube.com/watch?v=-tQQEChMq1A&feature=share

http://www.youtube.com/watch?v=4zHaQPyG7u4

Publicidade