Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Solta o som Por Blog Aqui cabe de tudo: do popular ao alternativo, do clássico ao moderno. Confira as novidades, bastidores e críticas sobre o que acontece no mundo da música dentro e fora do Rio de Janeiro

Música para ver, imagens de ouvir

Clara Sverner, paulista, nasceu em 1936. No Brasil e no exterior – em Genebra (Suíça) e Nova York (Estados Unidos) –, aprimorou seu talento para o piano clássico. Generosa, não se limitou ao conservatório. Seu repertório, em concertos e gravações, vai do resgate de compositores brasileiros (Glauco Velasquez, Villa-Lobos) a Mozart e Chopin, passando pela […]

Por Pedro Tinoco Atualizado em 25 fev 2017, 17h31 - Publicado em 17 Maio 2016, 00h55
Clara Sverner ao vivo: espetáculo de música e imagem

Clara Sverner ao vivo: espetáculo de música e imagem

Clara Sverner, paulista, nasceu em 1936. No Brasil e no exterior – em Genebra (Suíça) e Nova York (Estados Unidos) –, aprimorou seu talento para o piano clássico. Generosa, não se limitou ao conservatório. Seu repertório, em concertos e gravações, vai do resgate de compositores brasileiros (Glauco Velasquez, Villa-Lobos) a Mozart e Chopin, passando pela nata da música popular: ela manteve fértil parceria com Paulo Moura e registrou em disco obras de Pixinguinha, Nazareth, Chiquinha Gonzaga e Tom Jobim. Uma instrumentista talentosa e destemida, portanto, divide com o filho, o artista visual Muti Randolph, o original espetáculo Sinestesia. Na Sala Cecília Meireles, nesta quinta (19), às 20h (40 reais o ingresso), o público vai ver música, ou ouvir imagens, tanto faz. Funciona assim: um scanner sobre o teclado captura o movimento das mãos de Clara Sverner e o traduz em formas coloridas e tridimensionais, projetadas diante do piano, controladas ao vivo por Muti.

Vejam com a coisa funciona em Clair de Lune, de Debussy

https://player.vimeo.com/video/118830051

 

Continua após a publicidade
Publicidade