Clique e assine por apenas 7,90/mês
RJ-450 Na contagem regressiva para os 450 anos do Rio de Janeiro Por Blog Bares, histórias e encantos do Rio de Janeiro

Os prédios mais extravagantes do Rio (I)

A primeira vez que entrei em contato com a obra do arquiteto Antonio Virzi foi em 2006 quando a prefeitura estava reformando a Casa Villot que hoje abriga a Biblioteca Escolar Municipal de Copacabana. Resolvi aproveitar o gancho para falar sobre o incrível trabalho deste italiano que chegou ao Rio nos primeiros anos do século […]

Por rafaelsentose - Atualizado em 25 fev 2017, 18h53 - Publicado em 8 nov 2013, 18h13

A primeira vez que entrei em contato com a obra do arquiteto Antonio Virzi foi em 2006 quando a prefeitura estava reformando a Casa Villot que hoje abriga a Biblioteca Escolar Municipal de Copacabana. Resolvi aproveitar o gancho para falar sobre o incrível trabalho deste italiano que chegou ao Rio nos primeiros anos do século 20. Na ocasião dois pesquisadores me ajudaram muito: o André Decourt, do viciante fotolog Foi um RIO que passou, e o arquiteto Alberto Taveira, que dedicou seu estudo de mestrado a Virzi.

Amanhã o Alberto Taveira é um dos palestrantes do seminário sobre a arquitetura Art Déco, no Espaço Cultural da Península, ao lado do Fabiano Canosa e do Márcio Roiter. Apesar de Virzi muitas vezes pender mais para o Art Nouveau do que para o Art Déco, resolvi dedicar uma galeria aos seus projetos, parte deles já demolidos. Seus edifícios representam alguma das construções mais extravagantes que a cidade já viu.

Encontrei as fotos abaixo num perfil dedicado ao Virzi no Panoramio. As três primeiras mostram o famoso prédio do Elixir Nogueira, na Rua da Glória, derrubado em 1970. Depois vemos outras duas construções que já foram derrubadas: o casarão Schmidt de Vasconcelos que ficava na Avenida Atlântica e o Cinema América, na Praça Saens Pena, na Tijuca.

As três últimas imagens são de prédios que ainda estão aqui para contar história. São elas a fachada de uma fábrica no Catumbi; a Casa Villot, na Sá Ferreira, onde funciona a biblioteca municipal; e a Casa Villino Silveira, na Rua do Russel, na Glória. Vou falar mais sobre elas ao longo da semana na fanpage do Rio 450 Anos.

Publicidade

 

arquitetura art déco

arquitetura art deco rio

Publicidade