Clique e assine por apenas 4,90/mês
Rita Fernandes Por Rita Fernandes, jornalista Um olhar sobre a cultura e o carnaval carioca

Dia de São João!

Neste junho tão atípico, as festas juninas foram adiadas e acabaram transferidas para as lives.

Por Rita Fernandes - Atualizado em 24 jun 2020, 11h52 - Publicado em 23 jun 2020, 19h26

Para quem ama as festas juninas, hoje é dia de Batismo de Boi e de Fogueira de Xangô. É que amanhã é dia de São João e, pelas tradições populares, já estamos no ciclo das festas juninas e esses são dois rituais importantes para quem é ligado na história. O batismo é a benção do santo para o restante da temporada dos bois-bumbás, enquanto a fogueira de Xangô é o ritual para o orixá que no sincretismo corresponde ao santo católico.

Mas neste junho tão atípico de encontros adiados não vai ter fogueira para pular, nem quadrilha com trio pé-de-serra animando a festa. Com o isolamento por causa do Covid-19, o “arraiá” foi deslocado para dentro de casa, em lives compartilhadas nas telas de celulares, computadores e tevê. De escolas, bairros e pracinhas às festas mais tradicionais, como a Feira de São Cristóvão, reduto carioca dos ritmos do Nordeste, que se encontra fechado desde que o isolamento começou.

O Céu na Terra foi um dos que teve que cancelar seu arraial, que seria na Fundição Progresso. O bloco, que nasceu de um Auto de Boi, já estava com a programação toda fechada, com oficinas de Cacau Amaral, rezas em latim de D. Vitorinha e programação musical com o bloco e convidados, como Itaércio Rocha. Tudo cancelado.

“Festa virtual não é a mesma coisa que uma festa de verdade, com o encontro das pessoas. Mas a gente precisava levar um pouco de calor para dentro das casas, né?”, diz Jean Phillipe de Beyssac, um dos fundadores do Céu na Terra. Ele está trabalhando na montagem de festas juninas online, com gravação de músicas e várias participações, para escolas como Parque, Sá Pereira e Édem.

Continua após a publicidade

Transferida também para o ambiente virtual, uma das festas juninas mais conhecidas é a do Ceat, em Santa Teresa. A escola produz há 19 anos o Boi Garboso, grupo de boi-bumbá formado por alunos, ex-alunos, professores, músicos e artistas. É o ápice de uma programação que dura o dia inteiro, com maracatus, cavalos-marinhos, tambores de crioula, bois-bumbás e outros ritmos tradicionais brasileiros. A festa online do Ceat será no dia 11 de julho, transmitida pelos seus canais.

Outra que vai deixar saudade em muita gente é o “Arraiá da Pracinha”, realizado há dez anos na Praça Pio XI, no Jardim Botânico, pelo trio Christina Martins, Carlos Lisboa e Bruno Ferreira. A brincadeira começou despretensiosa, apenas para moradores, mas acabou caindo no gosto da galera da Zona Sul. Com público de mais de mil pessoas, o arraiá oferecia todo o ambiente junino, com brincadeiras de rua, barracas e trio de forró. O ponto alto era a quadrilha, que foi ficando cada vez mais cheia de gente que aparecia por lá, como conta Chris Martins.

O Arraiá da Pracinha, no Jardim Botânico, começou de forma despretensiosa, mas tornou-se um sucesso na Zona Sul. Foto Christina Martins/Divulgação

“Quero crer que no próximo ano seja possível, mas esse realmente não dá”, diz Chris, que vem seguindo rigorosamente os protocolos de isolamento social. “Vou fazer canjica, cocada, comida de festa junina para entrar no clima, mas vou ficar em casa”, diz. Amanhã, a partir das 18h, ela realiza “Viva São João na Live in JB #7”, no perfil do Instagram @jbefolhas, jornal que comanda. A live contará com a presença do cantor, compositor e percussionista Pedro Miranda e do estreante Pedro Botafogo, além da jornalista Simone Barreto, que fez uma pequena festa junina em casa para a família e que vai dar dicas de como fazer um arraiá para chamar de seu durante a quarentena.

Continua após a publicidade

Hoje seria também um dia importante no bairro de Parada de Lucas, na Zona Norte do Rio. Reduto de tradições maranhenses na cidade, o bairro abriga o projeto cultural Boi-Bumbá Brilho de Lucas, que hoje, véspera de São João, estaria fazendo o batismo do seu boi.

Mas quem disse quem mesmo com isolamento não vai ter festa? O fotógrafo Márcio Vasconcelos, o poeta celso Borges e o compositor César Nascimento fizeram um vídeo com os personagens tradicionais, toadas e batuques. Mesmo que virtualmente, a ideia é que as pessoas possam ver e ouvir essa celebração de cores e de ritmos das festas juninas brasileiras.

Continua após a publicidade

Viva o Bumba-Boi do Maranhão – Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade!Quem disse que não vai ter Boi?!Esses dias de junho sem o bumba-meu-boi nas ruas e praças do Maranhão têm um significado muito importante, já que, de alguma forma, silenciam nossa voz mítica mais potente. Por isso, o fotógrafo Márcio Vasconcelos, o poeta Celso Borges e o compositor César Nascimento fizeram este vídeo, colocando os personagens dessa grande festa, suas toadas, cores e batuques para que possamos ver e ouvir, ainda que virtualmente, essa celebração de cores e ritmos, que nos transforma e nos dá significado. A edição é de Vinícius Vinicius Vasconcelos.com Ribinha De Maracana Talyene CMelonio Nadir Cruz Hugo Cazumba Claudia Regina Avelar Avelar Iris Carvalho Izaurina Nunes Jandir Gonçalves Roberto Brandão

Posted by Márcio Vasconcelos on Monday, June 22, 2020

Abaixo, uma série de lives programadas para hoje, para quem quiser entrar no clima do São João!

Boi da Floresta – 19h
https://www.youtube.com/channel/UCjxIIuWNbaNX9JU1CL4DjtQ/about

https://www.instagram.com/boidafloresta/

Continua após a publicidade

Boi de São Simão – 19h
https://www.youtube.com/channel/UCfHoTN-UtjwsFLTrTrPwrBQ

https://www.instagram.com/boidesaosimao/

Boi de Axixá – 20h
https://www.youtube.com/user/BoideAxixa

https://www.instagram.com/boideaxixaoficial/

Boi de Ribamar – 20h
https://www.youtube.com/canaldohobedao

https://www.instagram.com/boideribamaroficial/

Boi de Pindaré – 20h30
https://www.facebook.com/pindare.ma/

 

Publicidade