Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Rita Fernandes Por Rita Fernandes, jornalista Um olhar sobre a cultura e o carnaval carioca

Carnaval digital vai animar os dias de folia

Sebastiana lança playlists, Céu Na Terra e Cordão da Bola Preta fazem bailes virtuais, Bloco da Pracinha promove brincadeiras infantis, entre outras opções

Por Rita Fernandes 5 fev 2021, 15h35

Quem disse que o não carnaval não ia dar trabalho para quem promove a festa? Eu que o diga! Buscando novos formatos, os organizadores de blocos que a essa altura estariam envolvidos com ações dos desfiles nas ruas, aprendem novos formatos e correm contra o tempo para colocar o bloco no ambiente digital. Para quem já está com saudade da folia, não faltam opções, já que a ordem é brincar em casa. Oficinas, bailes, apresentações, documentários e lançamento de playlists marcam esse que será o primeiro carnaval online da história do país. Em outros tempos, mais de 200 blocos desfilariam pela cidade nesse sábado e domingo pré-carnaval.

A Sebastiana, em parceria com a Amazon Music, lança a partir de hoje suas playlists “Carnaval em Casa”, seguindo a campanha iniciada em janeiro para conscientização dos organizadores e foliões sobre a não realização do carnaval na rua em 2021. Serão dez listas musicais dos blocos Simpatia é quase amor, Suvaco do Cristo, Barbas, Carmelitas, Escravos da Mauá, Meu Bem Volto Já, Gigantes da Lira, Virtual e o Baile da Sebastiana. As playlists foram pensadas para oferecer opções musicais àqueles que desejem montar seu carnaval em casa e refletem a identidade musical de cada bloco. Tem música e festa para todos os gostos, com marchinha, samba raiz, samba-enredo, axé, frevo, entre outros ritmos. A associação promove também oficinas virtuais no domingo de carnaval pelo canal da Casabloco, no Youtube, com Adereços carnavalescos, com o Suvaco do Cristo, Instrumentos musicais com materiais reciclados, com o Simpatia é quase amor, e Curto Circuito, brincadeiras infantis e circenses com o Gigantes da Lira.

O Céu na Terra, bloco de Santa Teresa, promove três bailes, dois pré-carnavalescos, amanhã e domingo, e outro no sábado de carnaval.
O Céu na Terra, bloco de Santa Teresa, promove três bailes, dois pré-carnavalescos, amanhã e domingo, e outro no sábado de carnaval. Divulgação/Divulgação

Já o Céu na Terra, bloco de Santa Teresa, promove três bailes em formato de lives. Serão dois pré-carnavalescos, amanhã e domingo, sendo um deles matinê infantil. No sábado de carnaval, dia 13, baile com uma homenagem especial aos foliões e ao carnaval de rua carioca. “Nesta fase de recuperação social, resolvemos fazer os bailes online para que os foliões possam participar de casa, sem risco de disseminação do vírus. Queremos que o carnaval de rua retorne logo, para que, no ano que vem, possamos estar todos juntos novamente pelas ruas, animando a cidade”, explica Péricles Monteiro Neto, coordenador do Céu na Terra.

O bloco e sua orquestra têm uma longa tradição em festas populares e são parte do “Núcleo de Cultura Popular Céu na Terra”, que nasceu em Santa Teresa em 1998. O Núcleo realiza trabalho de pesquisa e criação de suas apresentações culturais inspiradas nas tradições genuinamente brasileiras, como o Auto Natalino Pastoril do Céu na Terra, a Cantoria de Reis, o infantil Brinquedos Cantados, apresentação de Bumba meu Boi e atuações nas tradicionais festas juninas.

No sábado de carnaval, dia em que faria seu desfile, o Cordão da Bola Preta promove um baile de carnaval direto do Teatro Rival, com transmissão pelo seu canal, do teatro e da FM O Dia. A tradicional banda do Bola vai entoar marchinhas de carnaval e sambas clássicos do repertório do seu desfile e contará com a apresentação de Leandra Leal, porta-estandarte do bloco.

bloco
Sábado de carnaval, dia em que faria seu desfile, Bola Preta faz baile virtual direto do Teatro Rival, com participação de Leandra Leal. Divulgação/Divulgação

Amanhã, a partir das 10h, o Bloco da Pracinha on-line. Serão 10 minutos de muita animação que irão proporcionar a sensação de estar na Pio XI, com Barbara Lau cantando aqueles clássicos que todo mundo gosta, em ritmo de marchinha, como ‘O Sapo não lava o pé’, ‘Mamãe, eu quero’, ‘Dona Aranha’, ‘Borboletinha’, além do Tema do Bloco, especialmente reformulado para esse momento on-line. A ideia é promover a interação entre as famílias e convidar todas as crianças a brincar com seus instrumentos e fantasias, para manter acesso o espírito folião, mesmo que do outro lado da telinha.

Continua após a publicidade

Mas Barbara Lau não vai estar sozinha na folia.  Através de recursos de edição, os músicos e crianças que a acompanham na Pio XI estarão presentes no bloco on-line, cantando e dançando. “Jamais imaginei viver essa situação de estar longe das crianças, porém, não podemos perder a esperança jamais! Por isso, vamos realizar esse carnaval virtual com a mesma animação do presencial! Queremos que elas curtam o Bloco da Pracinha, mesmo dentro da telinha, por isso tudo foi pensado com muito carinho, desde o repertório até o cenário colorido e coreografias”, explica Barbara, cantora e educadora musical à frente do bloco.

bloco
Meu Bem Volta Já e Escravos da Mauá se juntam em projeto que vai contar historias dos sambas autorias de 12 blocos de carnaval. Publius Vergilius/Divulgação

Os blocos “Escravos da Mauá” e “Meu Bem Volto Já” lançam o projeto “Do Leme à Praça Mauá — Histórias e Músicas do Carnaval Carioca”, dia 12 de fevereiro, no canal do Youtube “Histórias e Músicas do Carnaval Carioca”. Com roteiro e direção de Pedro Monteiro, a série terá 12 programas de sete a dez minutos que vão contar algumas das curiosidades dos sambas e compositores que fizeram sucesso no carnaval da cidade dos anos 90 aos dias atuais.

A ideia é homenagear os blocos que saem com sambas autorais e os compositores, que têm um olhar crítico sobre o cotidiano da cidade. Em cada episódio, integrantes e músicos dos blocos serão convidados a cantar e contar lembranças da folia momesca. Sambas emblemáticos de cada agremiação foram escolhidos e regravados pelos músicos Tiago Prata e Daniel Scisinio e pelos intérpretes Anderson Feife, Dorina e Nina Rosa. Esse projeto eu tive a honra de ser convidada para comentar cada um dos blocos escolhidos.

“Nosso objetivo é traçar um panorama de como o Carnaval de rua do Rio de Janeiro se estruturou, vem mudando e se adaptando ao longo das décadas”, explica o diretor Pedro Monteiro.

Silvio e Ernesto criaram no Youtube e redes sociais o projeto FoliOn, carnaval virtual.
Silvio e Ernesto criaram no Youtube e redes sociais o projeto FoliOn, carnaval virtual. Divulgação/Divulgação

E ainda tem o projeto FoliOn, projeto de carnaval virtual cujo “cortejo” sai semanalmente no YouTube e diariamente no Instagram e no Facebook. Diversos temas relacionados ao carnaval ganham vida com a série criada por Silvio Rodrigues e Ernesto Magalhães, dois amantes do carnaval.

“Carnaval é todo dia! E mesmo sem sentir o calor da rua podemos de outras formas nos conectar. Aproveitar o momento de recolhimento e responsabilidade que este tempo nos pede para descobrir mais sobre este acontecimento tão presente na nossa cultura”, diz Ernesto, que cresceu em Ouro Preto e desde criança participava das festas na rua, na tradicional cidade mineira. Eles apostam no humor e no compartilhamento de histórias de carnaval, e tem episódios com a participação de personagens conhecidos da folia, como a super pernalta Raquel Poti.

Agora, é reunir os amigos, preparar a fantasia, baixar a playlist e transformar esse momento tão difícil em um novo tempo de utopias. Que o espírito de Momo esteja com todos!

Continua após a publicidade
Publicidade