Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Rita Fernandes Por Rita Fernandes, jornalista Um olhar sobre a cultura e o carnaval carioca

Os 40 anos de um tal Rock Brasil

Programação intensa para homenagear um dos mais importantes movimentos culturais do pais, o chamado Rock Brasil, começa nesta quinta (7)

Por Rita Fernandes Atualizado em 7 out 2021, 18h00 - Publicado em 7 out 2021, 13h23

O meu coração está em festa. Faço parte dessa geração que há 40 anos frequentava as areias do Posto 9, ia à noite pro Baixo Leblon e assistia os primeiros shows de uma nova geração de roqueiros no primeiro Circo Voador – uma lona azul montada no Arpoador. O ano era 1982! Nas areias de Ipanema, dividindo cangas e partidas de frescobol, estavam Cazuza, Evandro Mesquita, Regina Casé e toda uma geração de artistas ansiosos pela redemocratização de um país que vinha de 20 anos de ditadura.

E agora, esse projeto Rock Brasil 40 anos, do produtor cultural Peck Mecenas, pra fazer a gente relembrar tanta coisa. Claro que eu vou estar lá, no Rock Brasil 40 Anos, o festival de música desse inacreditável ano de 2021 no Rio de Janeiro. Primeiro grande evento-teste de cultura ao ar livre do Rio desde que foi decretada a pandemia, vai rolar por quase um mês, de 6 de outubro a 1º de novembro, em múltiplos espaços.

Vai ter shows, exposição, peças de teatro e rodas de conversa no Centro Cultural Banco do Brasil. E na Praça da Pira, ali em frente, um palco vai receber uma legião de artistas que marcaram aqueles incríveis anos 80. A programação vem regada a muita música, espetáculos de teatro, exposições, gastronomia, bate-papos, para homenagear a história do rock nacional.

O projeto celebra o movimento que começou despretensiosamente e que resultou num dos maiores da cultura nacional, com a chegada de bancas importantes como Os Paralamas, Legião Urbana, Plebe Rude, Blitz, Barão Vermelho. A lista é imensa, e os expoentes idem. Vai ser bom poder relembrar canções como Pro Dia Nascer Feliz, do Barão Vermelho; Codinome Beija Flor, de Cazuza, Tempo Perdido, do grupo Legião Urbana; e Meu Erro, sucesso do Paralamas, que era uma das minhas bandas favoritas.

Imagem mostra os quatro integrantes da banda Capital Inicial
Capital Inicial: Dinho Ouro Preto se apresenta junto com outras bandas do rock nacional. Divulgação/Divulgação

A programação dos shows, na Praça da Pira, começa nesse próximo fim de semana, 9 a 11 de outubro, e terá apresentações de Hanoi Hanoi, Fernanda Abreu (com participação especial de Fausto Fawcett), Leoni, Leo Jaime, Frejat e Paulinho Moska. Na semana seguinte, dias 16 e 17, será a vez de Ira, Barão Vermelho, Dinho Ouro Preto e Kiko Zambianchi.

O terceiro fim de semana, 23 e 24 de outubro, traz shows de Plebe Rude, Camisa de Vênus, João Penca e Paulo Ricardo. Fechando a programação, 30 e 31 de outubro, o festival apresenta Nenhum de Nós, Biquini Cavadão, Flausino & Sideral Cantam Cazuza (com participação de Bebel Gilberto), terminando a noite com Marina Lima.

O festival também traz diversas atrações, algumas gratuitas, como pocket-shows, musicais, documentários, exposições de arte e foto, palestras. Quem não puder comparecer vai poder conferir todas as apresentações ao vivo pelo canal do Rock Brasil, no Youtube, e no Canal Brasil, que terá exclusividade na transmissão ao vivo de todos os shows das 21h.

Continua após a publicidade
No CCBB, reedição de musicais como Cassia Eller, que retrata a vida da cantoria.
No CCBB, reedição de musicais como Cassia Eller, que retrata a vida da cantoria. Marcos Hermes/Divulgação

ATRAÇÕES NO CCBB – O público poderá ter uma experiência completa com diversas atrações, reunindo em um só lugar teatro, cinema, arte e ainda mais música. Com ingressos a R$30 (inteira), serão apresentados espetáculos consagrados, já conhecidos do grande público, além da montagem inédita, Cazas de Cazuza, uma ópera-rock de Rodrigo Pitta, que traz os maiores sucessos da carreira do cantor. Completam a lista: Cássia Eller – O Musical, que destaca a carreira meteórica da cantora com direção de João Fonseca e Vinicius Arneiro; Renato Russo – O Musical, estrelado por Bruce Gomlevsky revivendo a carreira do cantor, com direção de Mauro Mendonça Filho; e Cabeça, Um Documentário Cênico, de Felipe Vidal, baseada na obra e vida dos Titãs. A programação conta ainda com vários pocket shows com artistas e bandas como Inocentes, Fausto Fawcett, Uns e Outros, Claudio Zoli, George Israel, Paulinho Moska, Rodrigo Santos, Julia Mestre, Marcelo Nova, Leoni e Humberto Effe.

MOSTRA DE CINEMA – Com entrada franca, a mostra de cinema vem recheada de títulos, entre documentários e filmes de ficção. São eles: Barão Vermelho – Por que a gente é assim? (2007), com direção de Mini Kerti, doc musical que traz a história de uma das bandas precursoras do rock nacional; Faroeste Caboclo (2013), dirigido por René Sampaio, baseado na música homônima do grupo Legião Urbana; Blitz O Filme (2019), de Paulo Fontenelle, que conta a trajetória da banda sucesso nos anos 80; Titãs: A vida parece uma festa (2009), documentário com direção de Oscar Rodrigues Alves e Branco Mello, um dos fundadores do grupo; Somos tão Jovens (2013), cinebiografia do lendário vocalista do Legião Urbana, Renato Russo, com direção de Antonio Carlos da Fontoura; e Cazuza – O Tempo não Para (2004), outra cinebio, que traz a história de Cazuza, com direção de Sandra Werneck e Walter Carvalho.

EXPOSIÇÕES – Para quem gosta de arte e fotografia, o festival preparou duas exposições, ambas também com entrada franca. A primeira delas traz uma seleção de cerca de 60 fotos de artistas e personalidades que representam o Rock Brasil, clicadas ao longo das últimas décadas por Cristina Granato. A segunda é uma exposição de arte com obras de Luiz Stein e Zé Carratu, artistas plásticos que surgiram junto com o rock brasileiro dos anos 80. Além disso, a cada semana, o jornalista e crítico musical Nelson Motta apresenta uma palestra sobre a história do rock brasileiro e todo o contexto histórico que ele nasceu.

Nos dias de shows externos, o público poderá conferir ainda um vídeo mapping animado em 3D, criado pelo artista multimídia Batman Zavareze, que será projetado na fachada do CCBB, trazendo imagens de bastidores e os melhores momentos do rock nacional dos anos 80, além de depoimentos inéditos e exclusivos com os protagonistas do festival. Para os eventos com entrada franca, o público deverá também retirar seu ingresso no site Eventim.

Todos os protocolos sanitários exigidos pela Prefeitura do Rio de Janeiro por meio da Secretaria de Saúde e Vigilância Sanitária serão seguidos à risca para garantir a segurança do público. A Veus Saúde é que está fazendo toda a testagem e coordenando os laboratórios credenciados para o teste. Através do link  www.veussaude.com.br/rockbrasil40 é possível se habilitar para receber o seu ingresso do evento.

Então se organize, a programação é intensa e incrível. Rock na veia, muita música e muita história pra contar.

Rita Fernandes é jornalista, escritora, roteirista, presidente da Sebastiana e pesquisadora de cultura e carnaval.

Continua após a publicidade
Publicidade