Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Programinha Carioca Por Raquel Pereira, jornalista e mãe de três Passeios, viagens e rolês em família

Vacinação da gripe em crianças: o que você precisa saber

Em tempos de pandemia, a campanha se torna ainda mais importante. A gente conversou com uma especialista sobre o assunto

Por Raquel Pereira Atualizado em 22 abr 2021, 20h33 - Publicado em 22 abr 2021, 20h16

Começou mais uma campanha nacional de vacinação contra a gripe. A meta é imunizar cerca de 80 milhões de pessoas em todo o país até o dia 9 de julho. E neste ano, diferente do que aconteceu até 2020, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) estabelece que as crianças de seis meses a seis anos – além das gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde – são as prioridades. O motivo? Evitar conflito com os grupos que estão sendo vacinados neste momento contra a Covid-19, uma vez que o Ministério da Saúde não recomenda que as duas aplicações aconteçam de forma conjunta. O calendário do primeiro grupo, no qual os pequenos estão incluídos, prevê vacinação até 10 de maio.

Conversamos com a infectologista Maria Isabel de Moraes Pinto, especialista em vacinas da Dasa, das unidades Alta, Bronstein, Sérgio Franco e Lâmina. “Antes da pandemia, cerca de 40 mil internações eram causadas por complicações do vírus Influenza no Brasil. Em um cenário onde os hospitais estão sobrecarregados por conta da Covid-19, a imunização contra a gripe se torna ainda mais importante. O temor é que com mais pessoas nas ruas, o vírus volte a circular com mais frequência entre a população pressionando ainda mais os hospitais”, diz ela.

Tire suas dúvidas:

– Qual é a importância de se vacinar contra a influenza neste período em que as atenções estão voltadas ao enfrentamento da covid-19?
Apesar de causarem sintomas parecidos, são dois vírus diferentes. A vacina da gripe é importante para evitar complicações mais sérias causadas pelo vírus Influenza, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Para se ter uma ideia, antes de começar a pandemia, a complicação causada pelo vírus Influenza era responsável por mais de 40 mil internações, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

– Existe alguma justificativa para a proximidade entre a vacinação contra covid-19 e a volta da vacina contra influenza? Qual deve ser o intervalo razoável para quem já tomou a vacina contra covid-19 se imunizar contra influenza?
A vacina da gripe está no Programa Nacional de Imunizações (PNI) desde 1999 e a campanha geralmente começa em abril. Não é à toa, já que a ideia é garantir proteção da população por todo o período dos meses mais frios do ano, quando as infecções passam a ser mais comuns. Em 2020, o governo antecipou a campanha nacional de vacinação da gripe justamente por conta do início da pandemia.
Já neste ano, as campanhas seguem paralelamente. Mas, é importante frisar que é necessário respeitar o prazo de 14 dias entre os dois tipos de vacina.

– Não me sinto segura para sair de casa, nem para tomar a vacina. Devo esperar?         
A recomendação é não esperar. Quanto mais cedo tomar a vacina, mais rápido estará protegida. Hoje, é possível agendar a vacina da gripe em casa em diversos laboratórios.
A vacina da gripe é muito importante, especialmente para as mulheres grávidas ou que tiveram bebê recentemente. Elas são mais vulneráveis às complicações causadas pelo vírus Influenza, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Além disso, nos últimos três meses da gestação a mãe passa ao bebê anticorpos através da placenta. No caso das lactantes, há outro ponto importante. Como crianças de até 6 meses não podem tomar a vacina, é importante que as pessoas ao seu redor não adquiram a gripe.

Continua após a publicidade

– Meu filho testou positivo, ele pode se vacinar?
Sim, porém é preciso aguardar um prazo mínimo de 30 dias, a contar do dia do início dos sintomas.

– Qual é a diferença entre a vacina do posto de saúde e a da rede privada?
Enquanto a vacina ofertada pele SUS oferece proteção para três tipos de vírus (duas cepas do sorotipo A e uma do sorotipo B), a do particular é quadrivalente, oferecendo imunização para as quatro variantes com maior incidência de circulação (duas cepas do sorotipo A e duas do sorotipo B).

– As crianças já tomaram a vacina no ano passado. Por que dar novamente?
A vacina da gripe é produzida com base nas principais cepas que circularam no ano anterior. Por isso, há campanha todos os anos.
.
.
.

Anote aí!
Você conhece o PikLuc? É um aparelhinho inovador que promete aliviar a dor na hora da injeção. Pressionado sob o local da aplicação, ele tem o poder de sensibilizar os nervos, diminuindo assim o incômodo e a sensação da picada. Após o uso, é só lavar com água e detergente e guardar para a próxima. Indicado para todas as idades. À venda por R$ 25,90 aqui.

Se a temperatura corporal cair, a LikLuc tem também o Xô, Febre. A compressa adesiva refrescante, formulada à base de água, é indicada para dores de cabeça, picada de insetos e dor local após vacinas. Tem duração de oito horas. À venda por R$ 27,90 aqui.

Continua após a publicidade
Publicidade