Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Patricia Lins e Silva Por Patrícia Lins e Silva, pedagoga Educação

2020: o ano inesquecível

 A lista de desejos que tenho para o ano de 2021 nem deveria ser uma lista, mas um rol de óbvias necessidades de investimento

Por Patricia Lins e Silva 29 dez 2020, 19h49

2020, o ano inesquecível.      

       E chegamos ao fim de 2020, que já pode ser qualificado como o ano inesquecível. A pandemia e suas consequências sociais, econômicas e para a saúde, certamente serão objeto de análise ainda por muito tempo.  

       É difícil prever o que virá no próximo ano. Por enquanto, a perspectiva que temos é uma continuação da situação em que estamos. A vacina não chegou, a economia vai mal e a taxa de desemprego está muito alta.  

       Não surgiram lideranças políticas globais, o que é importante para administrar a colaboração e a coordenação necessárias numa crise universal. E aqui, no país, falta uma direção firme e segura, que ateste credibilidade à contenção da doença, que é o que poderia, dizem, melhorar a situação da economia e, portanto, da condição de privação de uma parte expressiva da população. Esses fatores nos envolvem numa atmosfera de incerteza onipresente e enfraquecem ilusões em relação a 2021.

       Mas mesmo sem aderir com entusiasmo às comemorações da passagem de um ano para o outro, o evento é carregado de simbolismos que trazem a vontade de ter esperanças e de sonhar.

       Na verdade, tenho uma lista de desejos que nem deveria ser uma lista de desejos, mas um rol de óbvias necessidades de investimento.

       E aqui seguem minhas aspirações para o ano de 2021:

       Desejo que a Educação Básica de qualidade esteja assegurada para todas as crianças; que a educação das novas gerações seja considerada essencial para o país, portanto, foco de total atenção da população; que as condições estruturais de todas as escolas sejam resolvidas; que os professores sejam reconhecidos em todos os sentidos; que os alunos aprendam aquilo que será necessário para o tempo em que serão adultos; que os professores possam se preparar para esse novo tempo da humanidade; que todas as crianças e jovens sejam reconhecidos como o futuro do país e, portanto, é preciso que todos sejam muito bem atendidos; que o lugar de crianças e adolescentes é na escola, onde estarão sempre protegidos e cuidados, onde brincam e se divertem, e onde aprendem a pensar e a resolver desafios.

       Esperamos que 2021 chegue trazendo saúde e paz para todos.

Continua após a publicidade
Publicidade