Sombra e água fresca na Tartaruga

Considerada por muitos como uma das mais belas praias do país, a Tartaruga, em Búzios, é famosa por suas águas calmas, claras e mornas, próprias para o banho, a pesca e a prática esportiva. Localizada do lado esquerdo da península, ela ostenta belas formações de pedras e corais, além de uma vegetação exuberante. Aliando tudo […]

Considerada por muitos como uma das mais belas praias do país, a Tartaruga, em Búzios, é famosa por suas águas calmas, claras e mornas, próprias para o banho, a pesca e a prática esportiva. Localizada do lado esquerdo da península, ela ostenta belas formações de pedras e corais, além de uma vegetação exuberante. Aliando tudo isso a algum serviço de qualidade, o lugar é uma ótima opção para passar o dia ou se hospedar.

Pousadas instaladas no alto e do outro lado do morro ou junto à areia possibilitam uma estadia agradável, com diárias que na alta temporada podem ser tão salgadas quanto as águas do Atlântico. Mas nada muito indecente.

 

Restaurantes, pousadas e quiosques oferecem cadeiras aos banhistas que se disponham a gastar seus tostões no local.

 

A Tartaruga é protegida pelo morro de vegetação abundante que esconde uma trilha para a Ponta da Sapata – bom local para o mergulho de observação dos corais – e a vizinha praia de Manguinhos, com ótimos restaurantes.

 

No canto esquerdo, livre das pedras, com águas ainda mais transparentes e areia limpa, o ambiente é perfeito para quem quer distância da agitação dos quiosques. Mesmo no auge da alta temporada esse canto é frequentável e mais isolado.

 

Areias vermelhas e águas cristalinas são um convite irresistível à caminhada e ao mergulho.

 

As pedras são uma marca da Tartaruga. É preciso tomar cuidado na hora de mergulhar. Mas a mansidão das águas facilita o trânsito, amenizando o risco de acidentes.

 

Elas estão por toda parte, mas no canto direito são abundantes e coloridas. Lá, outras duas prainhas, pedras de tons variados e a grande laje atraem os visitantes.

 

Em frente, do outro lado da enseada, é possível ver ao longe o litoral de Barra de São João e Rio das Ostras. A silhueta da serra fluminense correndo por trás das ilhas é um visual distante, mas bonito, quando a maresia e as nuvens permitem. Nessas ocasiões, é possível contemplar a cordilheira tomando quase todo o horizonte, desenhando de modo claro a enseada.

 

Os barquinhos repousando na areia denunciam a presença dos homens do mar.

 

Como em toda praia buziana, os pescadores também fazem ponto na Tartaruga.

 

Além das três espécies de tartarugas, que desovam por lá, o lugar está cheio de peixes, que podem ser pegos ou apenas observados – óculos, snorkel e pé-de-pato podem ser alugados por um preço razoável.

 

Na maré baixa, as pedras formam uma ilhota acessível a pé, que os turistas adoram percorrer.

 

O tempo todo os saveiros e escunas chegam e ancoram ao largo para um mergulho de passageiros e tripulantes, que raramente desembarcam na areia para tumultuar.

 

As águas calmas do lugar e um vento constante tornam a enseada ideal para os esportes náuticos, como acontece com todas as praias dessa banda da península. Barcos e pranchas de windsurf cortam a enseada a todo momento com suas velas coloridas.

 

O praticantes do stand up paddle também se aproveitam do mar flat para dar suas remadas.

 

Nem é preciso levar equipamento, pranchas e caiaques de vários tipos para alugar não faltam ao longo de toda a praia.

 

A canoa havaiana, relativamente nova no nosso litoral, também vem sendo praticada na Tartaruga.

 

Com a fiscalização dos órgãos competentes, as velhas cabanas improvisadas foram sendo substituídas por quiosques mais asseados e de visual menos agressivo.

 

Eles servem desde batata frita até pratos mais elaborados, com destaque para os pescados.

 

Quem prefere ficar à sombra ou não quer molhar os pés, há a opção de um bom restaurante pé-na-areia pertencente à pousada, que oferece um bom cardápio servido em mesinhas com vista para o mar. Pratos de lulas, polvo, mariscos e moquecas de peixe e camarão são muito bem servidos.

 

 Se for só para tomar um coquetel e relaxar, há ambientes bem aconchegantes.

 

A madorna à sobra das amendoeiras, depois do mergulho, do almoço e das biritas é de lei.

 

O final de tarde na Tartaruga é calmo e preguiçoso. Visitar Búzios e não conhecer essa praia é imperdoável.

(Fotos: Julio Cesar Cardoso de Barros e Cristina Ramos)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s