O terminal transatlântico

O canal de Cabo Frio (Itajuru) concentra boa parte das belezas da cidade. Ao longo do trecho percorrido por suas águas, do centro até a boca da barra, há um leque de cenários deslumbrantes e pontos agradáveis para se passar o tempo ocioso. Um desses pontos é o Terminal Transatlântico, que fica no trecho final […]

O canal de Cabo Frio (Itajuru) concentra boa parte das belezas da cidade. Ao longo do trecho percorrido por suas águas, do centro até a boca da barra, há um leque de cenários deslumbrantes e pontos agradáveis para se passar o tempo ocioso. Um desses pontos é o Terminal Transatlântico, que fica no trecho final do canal.

Localizado no bairro da Passagem, é por ele que desembarcam os turistas que chegam à cidade a bordo dos grandes transatlânticos ancorados ao largo.

Pequenas embarcações conduzem os turistas dos navios ao pier do terminal.

O espaço amplo tem uma vista panorâmica do canal, com uma infinidade de barquinhos coloridos que podem ser vistos por ali todos os dias.

O  pier atrai turistas que, munidos de máquinas fotográficas de variados tamanhos, se fartam de fazer registros dos encantos do lugar. Em volta da construção estão ancorados barcos de lazer, de trabalho e embarcações esportivas. Das possantes lanchas aos pesqueiros mais rústicos.

Neste ponto, o canal se alarga bastante. Mas a vista da outra margem é nítida com suas boas construções, embarcadouros e oficinas de barcos.

À volta da construção, barquinhos de pescadores servem de poleiro para mergulhões famintos.

O pier é base também para o lazer aquático, muito praticado no canal ou no mar, a partir dele. Stand up paddle, caiaque e canoagem são praticados nas águas calmas do canal. Para os novidadeiros, aulas de canoa havaiana, uma atividade esportiva que vem ganhando muitos adeptos no Brasil.

Enquanto o pesqueiro parte para alto mar, lanchas de luxo descansam na marina do outro lado do Itajuru. Esta é a vista que se tem a partir das mesas do único – e bom – restaurante do lugar.

Cenário que pode ser desfrutado enquanto se aprecia as delícias da cozinha especializada em frutos do mar. Destaque da casa, o prato bem servido de lagostins, camarões gigantes, lulas e peixe grelhados pode ser saboreado por 55 reais.

Apesar do visual e do bom serviço, o lugar ainda é pouco procurado por turistas, e é ignorado também por boa parte dos moradores.

Lojinhas de roupa, lembranças, arte e artesanato também compõem o espaço.

Esculturas adornam os jardins da entrada, onde há ainda um pequeno relógio de sol.

As obras com motivos marinhos não são lá essas coisas, mas podem ser vistas da via pública, onde há muito espaço para o estacionamento de carros e vans. Bom lugar para comer e relaxar. Um passeio e tanto.

(Fotos: Julio Cesar Cardoso de Barros)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s