Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Maresia Fluminense Por Blog

O canal de Cabo Frio

Apesar de alguma poluição, nada quebra o encanto do Canal do Itajuru, em Cabo Frio, que se estende por seis quilômetros e corta a cidade, ligando a laguna de Araruama ao oceano, no canto esquerdo da praia do Forte. O canal é caudaloso e sua travessia pode ser feita por barco, entre o Centro e a […]

Por juliobarros Atualizado em 25 fev 2017, 19h04 - Publicado em 22 jun 2013, 17h16

Apesar de alguma poluição, nada quebra o encanto do Canal do Itajuru, em Cabo Frio, que se estende por seis quilômetros e corta a cidade, ligando a laguna de Araruama ao oceano, no canto esquerdo da praia do Forte.

O canal é caudaloso e sua travessia pode ser feita por barco, entre o Centro e a Gamboa, ou pelas pontes Feliciano Sodré, inaugurada em 1926, e a ponte nova, Márcio Corrêa, que a segue paralela.

Do lado de lá, o centro da cidade, com seu comércio vigoroso e embarcações de turismo.

Do lado de cá, barcos, redes, o mercado de peixes e a rua dos biquinis, que reúne uma centena de lojas.

Na Gamboa, o ancoradouro dos pequenos pesqueiros, que nas horas vagas podem ser alugados para passeios.

Redes, apetrechos de pesca, e barcos recolhidos depois de uma longa jornada no mar.

O velho navio sofre a corrosão da maresia, mas ainda está na ativa.

Os turistas estacionam num grande pátio, fazem compras do outro lado da rua e passeiam à beira do canal, entre canteiros floridos a partir dos quais se tem uma bela vista da cidade.

Na margem direita,  junto ao Centro, mais pesqueiros…

… que dividem espaço com barcos de passeio no atracadouro.

Continua após a publicidade

Na prainha à beira do canal, os pequenos barcos …

… permanecem emborcados…

.. ou atracam na margem transformada em doca.

De frente para as águas do Itajuru, o casarão colonial em recuperação: patrimônio histórico.

A orla é pontilhada de lanchonetes e restaurantes para todos os gostos.

O sobrado que abrigou o ateliê de Carlos Scliar, artista plástico gaúcho que ali viveu por 40 anos, até sua morte, em 2001, foi transformado no Instituto Cultural que leva seu nome.

Na calçada da orla que também leva o nome do artista por decreto da prefeitura, o pintor, desenhista, gravurista e cenógrafo está presente.

O canal se alarga a caminho do mar, cercado de rica vegetação costeira, passando pelo bairro São Bento, ponto utilizado na prática de esportes náuticos.

Na barra do canal, mais embarcações de trabalho e de passeio estão atracadas, prontas para encarar as águas frias e transparentes do cabo.

 (Fotos: Julio Cesar Cardoso de Barros)

Continua após a publicidade
Publicidade