Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Maresia Fluminense Por Blog

A praia perfumada

Quem frequenta Cabo Frio com toda a certeza já se encantou com as águas muito claras e o perfume  da praia das Conchas. Era a nossa preferida para levar as crianças, que a chamavam de “praia do dia comprido”, porque chegávamos antes do almoço e só voltávamos para casa ao anoitecer. O almoço era no […]

Por juliobarros Atualizado em 25 fev 2017, 18h49 - Publicado em 25 jan 2014, 13h24

Quem frequenta Cabo Frio com toda a certeza já se encantou com as águas muito claras e o perfume  da praia das Conchas. Era a nossa preferida para levar as crianças, que a chamavam de “praia do dia comprido”, porque chegávamos antes do almoço e só voltávamos para casa ao anoitecer. O almoço era no Bar do Jamil, no canto esquerdo, na divisa das Conchas com o Peró. Famoso pela simpatia de seu proprietário de fartos bigodes e pelos frutos do mar frescos regados a caipirinhas caprichadas, o bar servia mariscos e peixes, na sua maioria pescados pelo próprio pessoal do bar, que eram servidos em porções generosas a um preço adequado para não esfolar o freguês. Foi ali, no Bar do Jamil, que a Rede Globo instalou a casa de praia do Tufão, o jogador de futebol aposentado e traído pela mulher na novela Avenida Brasil.

As areias douradas são outra marca da Praia das Conchas. Um tipo de algas muito presente em seu mar exala o aroma agradável.

Um morro divide o mar das Conchas da Praia do Peró, mas suas areias se unem, como se se tratasse de uma única praia.

A elevação avança mar adentro, terminando num promontório que permite uma visão ampla das praias e do oceano.

Por toda a orla do morro esparramam-se pedras que atraem os turistas para um exercício saudável e onde pescadores arriscam seus anzóis atrás de sargos e pequenos cações.

No local há também pescadores artesanais, que tiram das águas do Peró e das Conchas o seu sustento.

À esquerda do morro ficam as ondas do Peró, conhecida como Perópolis, por concentrar grande número de veranistas da cidade serrana de Petrópolis.

Continua após a publicidade

Nas águas calmas das Conchas, banhistas mais abastados costumam ancorar suas possantes lanchas para curtir as águas geladas da praia perfumada.

A Praia das Conchas é mais frequentada por moradores da região do que por turistas.

Para atendê-los, um aglomerado de bares e restaurantes padronizados ocupam todo o canto direito de suas areias. Peixes e mariscos são servidos de modo farto a preços camaradas. Mas a barulheira dos aparelhos de som, que competem entre si para atrair a clientela, faz do lugar uma sucursal do inferno.

As famílias gostam das Conchas pela tranquilidade de suas águas, propícias à diversão da garotada.

No bar do Jamil, hoje funcionando em outras mãos, os banhistas ainda encontram algum movimento.

Da lateral da construção voltada para o Peró, o pessoal do Jamil observava o mar à procura de cardumes, que se aproximavam da costa. Dado o alarme, eles corriam para os pequenos barcos em busca do pescado fresco que ofereciam aos frequentadores do bar a preços justos. A praia das concha sé única. Não existe outra que ofereça essa sensação agradável ao olfato e à visão ao mesmo tempo. Infelizmente, a frequência intensa e o mau uso têm levado a uma degradação de suas areias, sempre cheias de resíduos plásticos. O lixo maior é removido pela prefeitura, mas restam registros desagradáveis da presença humana por todo canto. Mas suas águas muito frias permanecem limpas e convidativas.

Oficialmente nomeado Bar dos Pescadores, o antigo Bar do Jamil deixou saudades na divisa das praias das Conchas e do Peró.

Fotos: Julio Cesar Cardoso de Barros

Continua após a publicidade
Publicidade