Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Julia Golldenzon Por Julia Golldenzon, estilista carioca

Diplomacia fashion: o significado das cores na posse americana

Como a escolha de um look em um dia simbólico pode falar muito além de moda

Por Julia Golldenzon Atualizado em 21 jan 2021, 15h55 - Publicado em 21 jan 2021, 15h44

Espectadores do mundo inteiro pararam para ver esta semana a posse de Joe Biden, o novo presidente dos Estados Unidos. Foi um dia simbólico para o país e pudemos ver a moda usada como meio de expressão pelas quatro principais mulheres presentes na cerimônia. As cores escolhidas pela vice-presidente Kamala Harris, pela primeira-dama Jill Biden e pelas ex-primeiras-damas Michelle Obama e Hillary Clinton não foram à toa – ou apenas para combinar com o tom de pele.  

Os tons de azuis e roxos estavam em cena como um sutil recado muito bem dado através dos looks. Referências ao patriotismo e exaltação ao Partido Democrata, que é representado pelo azul, puderam ser observados nas gravatas azuis de Joe Biden, Barack Obama e tantos outros no palco da cerimônia. A tradição e o novo estavam em cena nas roupas do casal Biden, em escolhas que valorizavam a moda americana. Se Joe Biden optou por um terno azul Ralph Lauren, um dos nomes mais populares dos Estados Unidos, a escolha da primeira-dama por um look sob medida da Markarian, grife da estilista Alexandra O’Neill, um dos novos nomes da indústria, apontou para uma renovação.  

Tudo era azul em Jill Biden: do sobretudo e do vestido, passando pela clutch e pelas luvas, até a máscara e os escarpins. Segundo comunicado da Markarian, grife conhecida por vender roupas sob medida, a cor significa “crença, confiança e estabilidade”. O conjunto da primeira-dama utilizou vários tons de veludo, tweed, lã e chifon azul.

Se o azul marcou a imagem de Jill Biden, a cor predominante entre as outras protagonistas do dia da posse foi o roxo. Simbolicamente esta é a cor do bipartidarismo americano porque é uma mistura de azul, ligada aos democratas, com o vermelho, dos republicanos. Usada por Kamala Harris, Hilary Clinton e Michelle Obama, o roxo foi uma espécie de aceno à tolerância, à democracia e ao bipartidarismo. Mas não só isso. A tonalidade foi uma das cores que representou a campanha das sufragistas no início do século passado na luta pelo direto das mulheres ao voto.

A vice-presidente Kamala Harris estava vestida com sobretudo 7/8 e vestido roxos criados por dois jovens designers negros americanos, Christopher John Rogers e Sergio Hudson. Seu colar de pérolas, um clássico, foi também uma referência à tradição do Alpha Kappa Alpha Sorority, primeira irmandade estabelecida e incorporada por mulheres afro-estadunidenses universitárias, fundada em 1908.

Sergio Hudson foi também o estilista escolhido por Michelle Obama – na minha opinião o look mais interessante e contemporâneo da posse. Ela vestiu um suéter combinado a uma pantalona de cintura alta com um maxi-cinto de fivela dourada, marcando a cintura, e um sobretudo longo no mesmo tom berinjela.

Michelle Obama, assim como Jackie Kennedy, fez muito pela moda em seus anos de Casa Branca. Kamala Harris e Jill Biden, mesmo sendo mais comedidas no estilo fashion, já mostraram que a moda estará em pauta não apenas como forma de expressão mas também para valorizar a indústria e abrir caminhos para novos grandes nomes do mercado. Em apenas um dia, elas mostraram que com moda se fala de diplomacia, economia, poder e, sempre, beleza.

Continua após a publicidade
Publicidade