Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Julia Golldenzon Por Julia Golldenzon, estilista carioca

Moda: O mini wedding da Chanel

Temporada de alta-costura mostra que a moda volta a fazer sonhar com desfile inspirado em casamento intimista e grandioso

Por Julia Golldenzon Atualizado em 1 fev 2021, 22h30 - Publicado em 1 fev 2021, 17h13

Num desfile sem grandes cenários e artifícios, como costuma fazer em tempos normais, a Chanel apresentou semana passada sua coleção de alta-costura, no Grand Palais, em Paris. Você pode achar que isso não tem muito a ver com a moda aqui no Rio, mas a verdade é que como e o que a maison francesa apresenta ainda tem enorme influência no mundo inteiro, e aqui também: do estilo das roupas ao conceito do desfile. Foi dada a largada da primavera-verão 2021!

 A pandemia ainda dita os protocolos de eventos, e a semana de alta costura segue com muitas apresentações virtuais. Embora tenha sido presencial, o desfile da Chanel não tinha nem 15 pessoas na plateia – ao contrário das centenas de convidados que costumam lotar o Grand Palais a cada temporada. A marca convidou apenas algumas de suas fidèles, as chamadas embaixadoras, para representar toda a plateia. Estavam lá as atrizes Marion Cotillard e Penelope Cruz e a cantora Vanessa Paradis.

Segundo Virginie Viard, diretora criativa da marca, o conceito do desfile propôs um casamento intimista ao ar livre, com uma grande e simples tenda branca e alguns arcos com muito verde e poucas flores. As modelos entraram em cortejo e depois foram se sentando no lugar da plateia, como se chegassem à cerimônia. E ao final, a noiva, montada num cavalo branco, fez a sua entrada final. Foi bonito, mas austero. Intimista, mas grandioso. Bem como ainda pede a pandemia em relação aos eventos. “Eu sabia que não poderíamos organizar um grande show, então tive a ideia de um pequeno cortejo, como uma celebração familiar”, disse Virginie à Vogue.

Sem elaborados e imensos cenários, como costuma fazer, o foco se voltou exatamente para o que tem que ser: as roupas. E neste ponto, desde os anos 20, a maison fundada por Gabrielle Chanel reforçou o que sabe fazer tão bem: criar sonhos. Nada de visual utilitário, nada de roupas confortáveis para passar quarentena em casa. A diretora criativa da marca apostou em tecidos nobres, bordados, cinturas deslocadas, coletes cropped e saias volumosas.

Mesmo em tempos de máscara e álcool gel, foi possível assistir ao vídeo do desfile e sentir vontade de vestir uma roupa linda e sair caminhando por aí. Acredito que 2021 tenha mesmo este espírito. Apesar de ainda estarmos enfrentando a pandemia, o desejo de retomar nossas vidas – mesmo que no novo normal – e de voltar a trazer sonho e beleza para o nosso dia a dia vai voltar a ditar a moda e o design novamente.

Julia Golldenzon é estilista especializada em festas e noivas. Formada em Comunicação Social pela PUC-Rio, ela trabalhou em marcas como Farm e La Estampa e, desde 2013, tem um ateliê no Leblon, que leva seu nome.

Continua após a publicidade
Publicidade