Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Histórias do futebol carioca Por Blog

Pitacos do Blog e boa Copa para todos

E a Copa chegou! O Blog é sobre histórias do futebol carioca, mas quem resiste a dar palpites sobre a Copa? Veja os palpites do Blog e curta a Copa. O Blog fará um pequeno recesso para poder acompanhar a Copa. Nos vemos de novo em julho, para repercutir o que aconteceu e o que […]

Por Bruno Salles Atualizado em 25 fev 2017, 18h38 - Publicado em 11 jun 2014, 04h24

2014

E a Copa chegou! O Blog é sobre histórias do futebol carioca, mas quem resiste a dar palpites sobre a Copa? Veja os palpites do Blog e curta a Copa. O Blog fará um pequeno recesso para poder acompanhar a Copa. Nos vemos de novo em julho, para repercutir o que aconteceu e o que deixou de acontecer nesse próximo mês.

Duas razões para o Brasil ganhar a Copa:

Fator casa: Nas dezenove Copas anteriores só a Espanha de 1982 fez uma campanha abaixo do esperado pelo time que tinha. Durante a Copa das Confederações do ano passado a Seleção e a torcida presente nos estádios desenvolveram uma relação que chegou ao ápice na final, quando o Maracanã tinha uma atmosfera de decisão de clubes, com uma torcida muito mais participativa que o normal em jogos de Seleção. Fora o fator hino à capela.

Um craque: Neymar tem muita habilidade, velocidade, técnica, já pode ser considerado um jogador experiente, com personalidade, que não se incomoda em ser o dono do time, tem intimidade com o gol, é bom batedor de faltas, querido pelos jogadores, carismático e ninguém se surpreenderá se for o grande condutor da Seleção rumo ao título.

Duas razões para o Brasil não ganhar a Copa:

Fator casa: Nas últimas oito Copas, em sete o anfitrião ficou pelo caminho, só a França, em 1998, conquistou a Copa em casa. Além do fator estatístico, devemos lembrar que a torcida brasileira, historicamente, é muito mais exigente com a Seleção que com seus times e o adversário da estreia é uma pedreira, o que pode dar início a uma espiral de insatisfação da torcida gerando insegurança no time e assim sucessivamente. Mesmo que a Seleção siga vencendo, pode jogar uma eventual final contra dois adversários, o oponente propriamente dito e o fantasma de 50.

Continua após a publicidade

Um craque: Neymar ainda é jovem, frágil fisicamente, tem mania de cavar faltas, no primeiro ano de futebol europeu foi discreto, tem muitos assuntos na cabeça além do futebol, como todos os compromissos comerciais e questões não esclarecidas acerca da transferência para o Barcelona. Mesmo que supere tudo isso, não custa lembrar que uma andorinha só não faz verão.

Se a tabela da Copa seguir os resultados esperados, as semifinais serão Brasil x Alemanha e Argentina x Espanha. Quase sempre esse tipo de previsão falha, mas nessa Copa acredito que teremos as semifinais esperadas. A Argentina tem um gênio, vários craques no ataque e uma tabela favorável. A Alemanha, mesmo desfalcada, tem muitos bons jogadores, equilíbrio entre juventude e experiência, e a possível dificuldade de adaptação ao Brasil não deve pesar, já que a Alemanha deve enfrentar europeus nas oitavas e nas quartas. A Espanha já esteve melhor, mas tendo o melhor elenco entre as seleções, tem a auto confiança de quem está acostumada a ganhar e a presença de Diego Costa dá uma nova alternativa em termos de estilo para, precisando, poder buscar o gol na base da força.

Acredito em boas campanhas de Chile, Suiça, Costa do Marfim, França, Portugal e Bélgica.

Acredito em más campanhas de México, Holanda, Itália, Inglaterra e Colômbia.

Não há grandes goleiros no cenário mundial, mas acredito que o alemão Neuer, possivelmente o melhor goleiro da atualidade, venha a ser o grande goleiro da Copa, quebrando uma escrita de fracassos do melhor goleiro do mundo. Khan, mesmo craque da Copa em 2002, levou um frango na final, Peter Cech falhou feio na 1ª fase da Copa de 2006, contribuindo para a precoce eliminação tcheca e Júlio César não foi capaz de segurar bolas fáceis no jogo contra Holanda em que a Seleção se despediu da Copa de 2010.

Pela tabela da Argentina pode ser que Messi venha a ser o artilheiro com uma grande quantidade de gols. Nas últimas nove Copas, em seis delas o artilheiro fez 6 gols, em duas delas o artilheiro fez 5 gols. O grande destaque foram os 8 gols de Ronaldo em 2002. Acredito que Messi seja artilheiro com 7 gols.

Falando em artilheiros, Klose vem aí! Para o bem da Seleção alemã, deve ficar pouco tempo em campo. Mesmo assim deve fazer os dois golzinhos suficientes para transformá-lo no maior artilheiro da história das Copas, uma prova definitiva que estatísticas são ótimas para bater papo, mas definitivamente não determinam muita coisa.

Continua após a publicidade
Publicidade