Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Histórias do futebol carioca Por Blog

Jogo no feriado, Engenhão lotado

Desde que foi inaugurado em 2007 o Engenhão tem enfrentado forte resistência do torcedor carioca, que muitas vezes não dá as caras e justifica o apelido de “Vazião”. Mas se o Botafogo joga em tarde ensolarada de feriado, é sucesso garantido. O clima do jogo com o Ceará lembrou a partida contra o Avaí em […]

Por Bruno Salles Atualizado em 25 fev 2017, 19h35 - Publicado em 8 set 2011, 04h01

Desde que foi inaugurado em 2007 o Engenhão tem enfrentado forte resistência do torcedor carioca, que muitas vezes não dá as caras e justifica o apelido de “Vazião”. Mas se o Botafogo joga em tarde ensolarada de feriado, é sucesso garantido. O clima do jogo com o Ceará lembrou a partida contra o Avaí em 12 de outubro de 2009, feriado de Nossa Senhora de Aparecida e que também é Dia das Crianças. Naquela oportunidade o Glorioso lutava contra o rebaixamento e vinha de duas vitórias seguidas, o que motivou a torcida, que compareceu em grande número, surpreendendo até os organizadores do jogo. Falta de ingressos, dificuldade no acesso e muita gente do lado de fora, como no último jogo contra o Ceará. Em 2009 o time foi para o intervalo perdendo por 2×0, reagiu no segundo, empatando em 2×2, resultado suficiente para ajudar na caminhada para fugir da degola e garantir um final razoavelmente feliz para os 33.641 pagantes. De lá para cá aumentou um pouquinho a quantidade de torcedores (36.995 pagantes) e melhorou muito a situação do time, que hoje briga pela taça. O que parece que não vai mudar nunca é a desorganização dos estádios de futebol no Brasil.

Publicidade