Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Gilberto Ururahy Por Gilberto Ururahy, médico Especialista em medicina preventiva

Saúde mental em tempos de pandemia

Casos de transtornos psiquiátricos multiplicaram-se desde o surgimento da Covid-19

Por Gilberto Ururahy Atualizado em 21 jan 2021, 11h28 - Publicado em 20 jan 2021, 16h23

A informação é uma arma poderosa para disseminar mais saúde na vida da população. Fiel a essa crença, desde 2011 a MedRio Check-up cria campanhas anuais visando justamente contribuir na conscientização de temas relevantes à sociedade. Já abordamos de alimentação saudável aos cuidados com a pele, passando pela qualidade do sono e a saúde da mulher.

Agora, para 2021 o assunto escolhido é “Saúde mental em tempos de pandemia”. Não poderia ser diferente. O ano de 2020, marcado por um evento global traumático deixou sequelas não apenas na saúde física das pessoas, mas especialmente na saúde mental. O tema é tão oportuno que foi escolhido pelo Ministério da Educação para a redação do Enem, no último domingo.

O fato é que o isolamento social imposto pela pandemia gerou mudanças profundas no cotidiano das pessoas e a necessidade de se adaptar a elas resultou em enorme estresse. Aliado a isso, o aumento do consumo de álcool e de outras drogas tem gerado preocupação entre os especialistas, já que as substâncias funcionam como gatilho. Pesquisa do IBGE, realizada em 2019, apontou que mais de 16 milhões de brasileiros com idade superior a 18 anos tinham depressão diagnosticada por especialista. Tal estatística impressiona, ainda mais se considerarmos que ela foi aferida antes do surgimento da Covi-19. Ao longo de 2020, constatamos que 11% dos clientes da MedRio Check-up, por exemplo, desenvolveram quadro de depressão. É um número bastante significativo, que nos leva a pensar em uma pandemia dentro da pandemia.

Os transtornos mentais se manifestam de maneiras diferentes, mas, em geral, envolvem uma combinação de pensamentos, percepções, emoções e ações anormais que podem afetar a relação do indivíduo que passa pelo problema com outras pessoas. Entre os transtornos mais frequentes estão: estresse, estresse pós-traumático, ansiedade, síndrome do pânico, depressão e burnout.

Em muitos casos a tristeza momentânea e passageira é confundida com depressão. Um dos grandes avanços da psiquiatria moderna foi relacionar o excesso de cortisol (um dos hormônios do estresse) na circulação, com a depressão. Muitas vezes, essa situação se reverte completamente, apenas adotando-se um estilo de vida saudável. A atividade física regular provoca a produção de endorfina no corpo, que atenua os níveis de cortisol.

O check-up médico regular é uma valiosa ferramenta para avaliar as dimensões do estresse, da depressão ou da ansiedade, além de servir como um norteador para um novo estilo de vida depois do diagnóstico.

Para todos os outros casos, a boa notícia é que os transtornos psiquiátricos tem tratamento e podem envolver desde psicoterapia até o uso de medicamentos, que contribuem para reduzir o sofrimento psicológico e recuperar o prazer na vida. O importante é deixar o preconceito de lado e pedir ajuda.

Gilberto Ururahy é médico há 40 anos, com longa atuação em Medicina Preventiva. É diretor da MedRio Check-up, líder brasileira em check-up médico. É detentor da Medalha da Academia Nacional de Medicina da França e autor de três livros: “Como se tornar um bom estressado” (Editora Salamandra), “O cérebro emocional” (Editora Rocco) e “Emoções e saúde” (Editora Rocco).

 

Continua após a publicidade
Publicidade