Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Gilberto Ururahy Por Gilberto Ururahy, médico Especialista em medicina preventiva

O que são as comorbidades (doenças crônicas) e como evitá-las?

Condição prévia ou doença pré-existente são fatores de risco não apenas para a Covid-19

Por Gilberto Ururahy Atualizado em 24 Maio 2021, 12h35 - Publicado em 24 Maio 2021, 09h25

Depois dos idosos e dos profissionais de saúde, teve início a vacinação de um grupo prioritário que alcança grande parcela da população: os portadores de comorbidades. Mas afinal, o que são as comorbidades e por que elas são tão ameaçadoras para a qualidade de vida?

Comorbidades são condições prévias ou doenças pré-existentes associadas a um agravante do quadro clínico do paciente quando uma outra doença se instala – como é o caso da Covid-19 no momento. Dentre as comorbidades mais recorrentes estão diabetes, obesidade, hipertensão, doença renal crônica, doenças no fígado, cânceres, além das doenças pulmonares (como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica), todos com potencial de agravar o prognóstico, ou seja, potencializam as chances de um indivíduo ficar doente por mais tempo, desenvolver uma forma mais grave da doença e até morrer.

A explicação fisiológica para isso é que as comorbidades influenciam na circulação do sangue pelo corpo, interferindo negativamente na eliminação de toxinas ou no fluxo de nutrientes. Como já foi apontado nas palestras dos especialistas que passaram pela MedRio este ano, o vírus desregula o funcionamento dos vasos e do pulmão. O estado de saúde do paciente com comorbidade aliado ao impacto do vírus pode ser fatal.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 10% dos brasileiros tem diabetes, 27% são obesos e 20% sofrem de pressão alta, totalizando 18 milhões de pessoas com alguma condição pré-existente. Trata-se, portanto, de uma verdadeira epidemia de comorbidade no Brasil. Todas essas doenças estão diretamente ligadas à falta de um estilo de vida saudável – este sim, a melhor vacina que existe contra qualquer doença.

Prática de exercícios físicos, alimentação saudável, noite reparadora de sono, consumo moderado de álcool e evitar o cigarro – além de consultas médicas e exames de rotina – contribuem de forma definitiva para a saúde do indivíduo, além de prevenir as doenças crônicas que, mais do que nunca, estão provadas como sendo de grande risco.

Das muitas lições da pandemia, o velho ditado “prevenir é melhor que remediar” mostrou-se o mais realista. Tenha um estilo de vida saudável e procure seu médico. Saúde é prevenção!

Gilberto Ururahy é médico há 40 anos, com longa atuação em Medicina Preventiva. Em 1990, criou a MedRio Check-up, líder brasileira em check up médico. É detentor da Medalha da Academia Nacional de Medicina da França e autor de três livros: “Como se tornar um bom estressado” (Editora Salamandra), “O cérebro emocional” (Editora Rocco) e “Emoções e saúde” (Editora Rocco).

 

Continua após a publicidade
Publicidade